​Cabo Verde assume presidência do «Sahel Plus»

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,9 fev 2018 8:06

A Cruz Vermelha de Cabo Verde assumiu a presidência do Grupo “Sahel Plus” para os próximos dois anos, informou ontem o presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, Arlindo de Carvalho.

A eleição dos órgãos directivos aconteceu durante a Assembleia Geral ordinária do Grupo «Sahel Plus», que teve lugar na Cidade da Praia, durante os dias 05 e 06, e que culminou com a II Mesa Redonda do Comité Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho Internacional (CICV) sobre «O acesso mais seguro».

No encerramento dos dois eventos, Arlindo de Carvalho disse à Inforpress que agora vão ter de conhecer todo o ambiente do “cluster” Sahel para, a partir de ali, traçar as novas metas com bases nas recomendações definidas na assembleia.

“Vamos ter que trabalhar, seguramente, com todas as questões que tem a ver com a segurança alimentar, com a resiliência e a imigração, fazendo ponte com a política dos Governos, com os movimentos internacionais existentes e com as estruturas internacionais e regionais”, diz.

Uma das recomendações, segundo o responsável, é a criação de uma plataforma de comunicação das estruturas internacionais e regionais para que juntos possam congregar valores e trabalhar para as diferentes áreas relacionadas com a segurança alimentar, com a resiliência e a imigração.

Os 10 países da África, que pertencem a zona de Sahel, segundo Arlindo de Carvalho, estão afectados com a situação de seca, da insegurança alimentar e da imigração, e perante essas situações, os voluntários da Cruz Vermelha têm uma “grande responsabilidade” na ajuda humanitária.

Em relação a mesa redonda do Comité Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho Internacional sobre «O acesso mais seguro», que teve lugar durante os dias 07 e 08, na Cidade da Praia, informa que foi um momento de reflectir sobre as ferramentas, os direitos, os mecanismos e as formas de actuação dos voluntários e profissionais da Cruz Vermelha, no âmbito de uma catástrofe e conflitos.

A Cruz Vermelha, no quadro dos tratados internacionais, tem responsabilidades em matéria de assistência humanitária e, essa assistência, para chegar às pessoas tem que ser protegida, processo que, segundo Arlindo de Carvalho, implica que a instituição adopte um conjunto de medidas de natureza jurídica, administrativa, económica e operacional.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,9 fev 2018 8:06

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  9 fev 2018 8:06

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.