​Encerramento de delegações da TACV é “normal e previsível”

O encerramento das delegações da TACV onde já não tem qualquer tipo de operação “é normal e era previsível”. Quem o diz é a administração da Transportadora Aérea Cabo-verdiana, em comunicado.

A empresa garante que todos os trabalhadores estavam já informados. O esclarecimento da companhia vem na sequência da sua decisão de encerrar a delegação Regional Norte da TACV a 1 de Marco, uma medida enquadrada no processo de reestruturação da empresa.

“O encerramento das delegações/escalas a partir de 01/03 e onde a TACV já não tem qualquer tipo de operação é normal e era previsível. Todos os trabalhadores estavam já informados sobre esta possibilidade, objectiva e responsável”, lê-se.

A administração assegura que, durante o período de reestruturação da companhia, cujo processo sensível e complexo continua em andamento, todos os direitos dos trabalhadores estão a ser salvaguardados e a todos foi apresentada uma solução de acordo com a lei laboral cabo-verdiana, devidamente acompanhada pelos sindicatos.

O processo privilegiou a desvinculação por pré-reforma e a via de mútuo acordo e o respeito pelos anos de trabalho e dedicação dados à companhia aérea.

“Esta reestruturação é um processo complexo, demorado, mas necessário e que envolve o foco no factor humano com sensibilidade e bom senso, tarefa essa que os TACV nunca descuraram a nível interno”, lê-se no comunicado.

Segundo a administração da TACV, a transferência do hub para a ilha do Sal foi um passo importante para o crescimento da companhia e a empresa tem vindo a negociar as melhores condições possíveis para garantir uma compensação de mudança do local de trabalho que seja razoável e compatível com os recursos financeiros disponíveis.

Com esta mudança, segundo a nota da TACV, alguns trabalhadores, “dado o seu potencial”, foram aproveitados para mudarem para a Ilha do Sal e outros têm potencial e alternativa de mobilidade para Praia, caso aceitem as condições.

“Está-se a trabalhar para que todo o processo seja fechado preferencialmente por mútuo acordo. Todo o processo está sendo gerido com muita responsabilidade e procurando, em função dos recursos disponíveis, assegurar o menor impacto negativo possível. Uma forte aposta está sendo feito no futuro dos trabalhadores que vão ficar na empresa”, conclui a nota da empresa. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Rádio Morabeza,26 fev 2018 9:20

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.