Educação Moral e Religiosa Católica e catequese “são coisas distintas” – Pe. João Augusto

PorSheilla Ribeiro (estagiária),9 set 2019 12:15

1

O vigário geral da Diocese de Santiago e conselheiro espiritual da Comissão Instaladora da Disciplina Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC), Padre João Augusto Martins, afirma que a cadeira e a catequese são “coisas distintas” e que não se trata de uma tentativa de moralização da sociedade, no sentido impor valores.

Declarações feitas durante o primeiro Seminário de Formação de Professores de EMRC, organizado pela Escola de Formação Cristã da Diocese de Santiago e Comissão de EMRC, que decorre de hoje até 13 de Setembro.

Segundo o Padre João Augusto Martins, a catequese é um ensino sistemático da doutrina cristã às crianças.

“As aulas de religião e moral não são para preparar para a primeira comunhão, nem para o crisma e nem para o casamento. É para iluminar a vida da pessoa com valores cristãos que coincidem em muito com os valores da cultura ocidental. Por isso, catequese e religião e moral são coisas muito distintas”, declarou.

De acordo com o conselheiro espiritual para a implementação da EMRC, trata-se de propor aos adolescentes, aos jovens e aos que estão na sua fase de crescimento, um conjunto de modos de vida, de leitura, de ver a sociedade que vêm na continuidade daquilo que os pais querem que saibam.

“O primeiro agente educativo são os pais. Todas as outras instituições são subsidiárias e então quando um pai escolhe, dentro daquilo que a Constituição diz, uma educação integral para o seu filho, a escola oferece essa possibilidade de cooperação com os pais e os pais inscrevem os seus filhos para receberem essa educação religiosa. Mas não se trata de moralização da sociedade, no sentido de dizer e impor um valor”, assegura.

A disciplina vai ser implementada, para já, em 13 escolas públicas na Praia, em São Vicente, na Ribeira Grande de Santo Antão, em Santa Catarina de Santiago e em São Filipe, no Fogo, sendo alargada paulatinamente a outros estabelecimentos de ensino. Segundo o Padre, já se ministra a disciplina em cinco escolas católicas.

“Depois de 2023, vai-se alargar a outras escolas, conforme aquilo que se combinar com o governo, mas a lei prevê a cobertura universal. Uma cobertura universal não se faz de um momento para o outro, por isso, a cobertura é gradativa, até que se chegue a universal”, explicou.

O Padre João Augusto Martins recorda que a disciplina é opcional. EMRC arranca no novo ano lectivo, no quadro do acordo jurídico entre Cabo Verde e a Santa Sé.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro (estagiária),9 set 2019 12:15

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  10 set 2019 8:27

1

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.