​Já ouviu falar de linguagem simples?

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,9 set 2019 16:58

Evitar a exclusão através da linguagem. Um dos objectivos da jornalista e pesquisadora brasileira, Heloisa Fischer, que estuda os efeitos da complexidade textual na compreensão de serviços públicos. Pequenas decisões permitem reduzir custos, utilizando a linguagem como forma de resolver a desigualdade social.

Convidada do Panorama 3.0, da última sexta-feira, a pesquisadora, que estuda os efeitos da complexidade textual na compreensão das mensagens veiculados pelos serviços públicos, defende a necessidade de uma mudança de mentalidade.

“Existe uma necessidade primeira que é dar-se conta que isso é um problema, porque vejo aqui no Brasil e imagino que em Cabo Verde não seja diferente, as pessoas lidam com os textos confusos da comunicação pública, contratos, relações comerciais entre consumidores e muitas vezes dentro do próprio ambiente de trabalho, como se fosse o ar que respiramos no dia-a-dia. Então, eu creio que para mudar essa situação, que com certeza beneficiaria um numero muito grande de pessoas, é preciso dar conta que o problema existe”, afirma.

Estamos a falar do conceito linguagem simples, uma técnica de redacção que permite escrever textos administrativos ou legislativos de forma clara e simples, entendível pelo cidadão comum.

Para a especialista, a linguagem simples é também uma questão de transparência e interesse público.

“A linguagem simples é uma grande aliada da transparência pública, de deixar claro para todas as partes interessadas. Mas é importante também considerar que a transparência pública é muito relevante dentro do próprio governo, porque os órgãos governamentais se relacionam entre si e perde-se muito tempo nessa descodificação de uma linguagem que só é conhecida por um determinado grupo técnico e não de um outro [grupo] dentro do próprio governo", exemplifica.

Panorama 3.0 #114 - Joseph Martial Ribeiro, Pedro Brinca, Timor-Leste, Heloisa Fischer

Podcast do programa de grande informação da Rádio Morabeza. Episódio de 06 Setembro de 2019

Embora seja pouco conhecida, a linguagem simples não é um tema novo e são vários os governos que têm adoptando técnicas de redacção simples na transmissão de informação pública

Heloísa Fisher aponta a experiência da Colômbia que adoptou, em 2013, a linguagem simples na relação com os contribuintes.

“É interessante observar que essa experiência da Colômbia foi recentemente avaliada num relatório do Banco Interamericano de Desenvolvimento e é muito interessante a pesquisa, que mostrou a economia que o estado colombiano faz ao simplificar a linguagem com a qual se relaciona com os cidadãos. É muito interessante ver isso quantificado. O estudo comprova que a linguagem simples economiza dinheiro público, sem contar que economiza o tempo dos contribuintes. Quanto tempo todos nós perdemos ao relacionar com o governo?", questiona.

Linguagem simples é tradução do termo em inglês plain language. A expressão plain language foi consagrada por movimentos sociais internacionais, a partir dos anos 1970, exigindo a redacção de textos e documentos de forma mais fácil de ler e entender pelos cidadãos .

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,9 set 2019 16:58

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  11 set 2019 7:39

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.