Cabo Verde passa a ter código postal de sete dígitos

PorExpresso das Ilhas, Lusa,12 mar 2020 10:24

Cabo Verde vai começar a introduzir este mês o novo código postal nacional, que passa a ser composto por sete dígitos para representar individualmente concelhos, zonas postais ou bairros, segundo decreto-regulamentar a que a Lusa teve hoje acesso.

O documento, que entrou em vigor em 05 de Março, depois de promulgado pelo Presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, começa por recordar que, em Cabo Verde, as compras pela Internet “têm aumentado exponencialmente nas últimas duas décadas”, associadas ao “surgimento de algumas empresas a operar no sector da entrega”, bem como na prestação de serviços ao domicílio.

“A revisão e a actualização da estrutura do Código Postal Nacional justificam-se pelo facto de a estrutura vigente não satisfazer as necessidades dos operadores postais, nem dos seus clientes. A estrutura do Código Postal Nacional existente não acompanhou o crescimento económico e o desenvolvimento urbano experimentados no país nas últimas décadas, nem os avanços tecnológicos globais”, lê-se no documento, aprovado pelo Governo.

O novo código postal de Cabo Verde passa a ser constituído por sete dígitos, divididos em dois grupos separados por hífen. O primeiro grupo, de quatro dígitos, representa a “organização administrativa”, em concelhos, zonas ou bairros, e o segundo grupo, de três dígitos, refere-se às zonas postais, que se apresentam por um agrupamento de prédios ou quarteirões.

O primeiro dígito do novo código postal cabo-verdiano passa a ser referente à ilha de destino, referindo-se o segundo dígito ao concelho (22 em todo o arquipélago).

O decreto regulamentar que estabelece as bases da instituição e aplicação do novo código postal, que será coordenada pela Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME) refere a necessidade de ter “um código moderno e robusto, eficaz e capaz de dar respostas às necessidades diárias das operadoras postais”, para permitir “fazer a triagem e a redistribuição das encomendas postais de forma expedita, promovendo a dinâmica do fluxo das encomendas postais a nível nacional e internacional”.

O objectivo é também fomentar “o desenvolvimento dos operadores postais e a economia do país num todo”, lê-se ainda.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,12 mar 2020 10:24

Editado porSara Almeida  em  12 mar 2020 16:51

pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.