Preço do trigo é “deveras preocupante”, diz ministro da Agricultura

O ministro da Agricultura e Ambiente assegurou hoje que o Governo vai continuar atento em relação ao preço do trigo, mas que vai acatar o parecer do Secretariado Nacional da Segurança Alimentar e Nutricional que não recomenda a continuidade da subsidiação, tendo em conta o prolongamento da situação internacional e dos custos.

Em declaração aos jornalistas, na Cidade da Praia, na cerimónia de entrega de quase 1.500 toneladas de arroz a Cabo Verde, pelo Governo do Japão, o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, reconheceu que a situação do trigo é “deveras preocupante”, bem como o aumento dos preços a nível internacional e o andamento da crise.

“O Governo até hoje gastou, com esta política de compensação financeira, cerca de 151 mil contos. Vamos continuar a subsidiar por mais três meses o milho, tendo em consideração também a preparação de um novo ciclo de produção a nível da pecuária, mas no que se refere ao trigo, temos um parecer do Secretariado Nacional da Segurança Alimentar e Nutricional que não recomenda a continuidade, tendo em conta o prolongamento da situação internacional e dos custos”, declarou.

Segundo o ministro, a estratégia do Governo é reforçar outras medidas, “bastante eficazes", para fazer face a actual situação.

“Por exemplo, mais três meses desta compensação o Governo estaria a gastar mais 56 mil contos. São recursos muito avultados, entendendo o Secretariado Nacional da Segurança Alimentar e Nutricional que devemos optar por reforçar outras medidas bastante eficazes. Estamos a falar do apoio às cantinas escolares, da assistência alimentar às famílias e também do emprego público que permite às famílias trabalharem e obterem rendimentos que permite portanto aceder aos bens alimentares”, indicou.

Segundo Gilberto Silva, o preço do trigo se mantém elevado mas a tendência é para a sua diminuição no mercado internacional. O governante explica ainda que e as medidas de compensação, de acordo com as leis cabo-verdianas, não podem perdurar no tempo, tendo em consideração que constitui também uma “perturbação ao funcionamento do mercado”.

“Perante este parecer e perante a situação, o Governo vai analisar e continuar atento, e ver as necessidades. Vejam que no quadro da aprovação das medidas de mitigação dos efeitos da crise o Governo abriu-se no sentido de regularmente analisar a situação global e tomar as medidas que se impõe e demonstrando claramente alguma flexibilidade, mas é importante sublinhar que a compensação dos preços dos produtos não é uma medida frequente nos demais países do mundo”, acrescentou.

Desde o início deste ano que o Governo deixou de subsidiar a importação de trigo, o que fez disparar o preço da farinha de trigo, levando as padarias a anunciar aumentos do preço do pão e outros produtos.

“Todos os países procuram evitar esta medida tendo em conta que perturba de certa forma o funcionamento do mercado e Cabo Verde é um país receptáculo de ajuda internacional, como acabaram de ver, de ajuda internacional em matéria alimentar, os países que ajudam Cabo Verde não implementam esta medida de compensação dos preços e Cabo Verde vem implementando de forma muito excepcional mas não pode de facto continuar com esta medida no tempo, como eu disse a perturbação no mercado, do funcionamento do mercado e dos custos elevados que esta medida acarreta”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Edisângela Tavares (Estagiária),16 jan 2023 14:26

Editado porAndre Amaral  em  17 jan 2023 14:16

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.