Guardas Municipais da Praia iniciam greve de três dias

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,23 jan 2023 9:27

A Guarda Municipal da Praia inicia, hoje, 23, uma greve de três dias, em protesto contra o alegado incumprimento, por parte da Câmara Municipal, da maioria dos compromissos assumidos.

A greve, convocada Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (STCS), foi decidida após uma reunião tripartida de conciliação, mediada e promovida pela Direção Geral do Trabalho, realizada a 18 de Janeiro.

O presidente do STCS, Benito de Paula Gomes, disse à Inforpress que os grevistas reivindicam a atribuição de 30 por cento (%) do produto das coimas aplicadas durante o ano 2021.

No memorando de entendimento acordado com a autarquia, reforçou Benito de Paula Gomes, a mesma tinha prometido liquidar, até o passado Dezembro, o produto de coima que está previsto no Código de Postura Municipal referente ao ano 2021, mas que ainda não se efectivou .

“E durante a última negociação, a autarquia não deu nenhuma previsão quando irá fazer o pagamento, daí que não chegamos a um entendimento”, ajuntou.

Das demais reivindicações, o sindicalista apontou o desenvolvimento profissional, designadamente, promoções e progressões vencidas e não atribuídas, implementação do estatuto da Polícia Municipal e a sua regulamentação e fardamento.

Entretanto, através de um comunicado publicado no Facebook, a Câmara Municipal da Praia considerou a greve como sendo um “ignóbil acto de chantagem”, na medida em que está a exigir a promoção e progressão congelados há vários anos, a participação nas coimas, e também os fardamentos, com prazo fixado para mês de Março próximo.

Conforme justificou a edilidade, foi porposto à corporação que a questão das promoções e progressões seria resolvida com a conversão dos Guardas Municipais em Polícia Municipal.

A CMP justifica que as promoções e progressões não é um problema apenas das Câmaras Municipais em Cabo Verde, apontando que o próprio Governo por meio das leis dos orçamentos do Estado, tem vindo a congelá-los por causa das restrições financeiras do tesouro público.

Quanto à participação nas coimas, afirma que está sobre a mesa por ser uma medida de legalidade duvidosa.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,23 jan 2023 9:27

Editado porAndre Amaral  em  23 jan 2023 12:30

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.