A greve geral mostra que o governo está sozinho, diz MpD

PorElsa Vieira,17 dez 2013 18:27

O vice-presidente do MpD, Olavo Correia assegura que a manifestação agendada pela UNTC-cs para 20 de Janeiro de 2014, mostra claramente que o Governo está sozinho. 

 

Enquanto o Governo realça que esta greve não tem razão de ser, para o MpD a manifestação é legítima e diz claramente que não há envolvimento de parceiros sociais nas tomadas de decisão, ou seja, o Governo tem agido de forma unilateral, pondo em risco a economia nacional.

 A aprovação do Orçamento do Estado para 2014 sem apoio da oposição, dos sindicatos e das associações empresariais é uma das provas apontadas por Olavo Correia, como sinal do isolamento do Governo. “Não é possível conseguir resultados positivos em relação à economia e a sociedade num enquadramento onde o Governo actua sozinho”.

Para o vice-presidente do MpD é preciso uma mudança de atitude por parte do Governo. Um Executivo que a seu ver deve ser mais envolvente e mais dialogante.

Olavo Correia vai mais além e acrescenta “ o Governo deve ser da República e não do PAICV”.

Conforma o vice-presidente do maior partido da oposição, sempre que houver acordo entre os principais actores sociais e políticos em relação as necessidades das reformas os resultados são melhores. “É preciso que os partidos políticos, os sindicatos, as associações empresariais desenvolvam um quadro preciso a médio e longo prazo, em relação àquilo que tem que ser feito, os custos que têm que ser assumidos, de forma a romper com o ciclo vicioso de fraco crescimento, de redução do emprego e aumento da pobreza”.

Olavo Correia disse que não se deve fazer apenas acordo de intenção, sem metas e sem objectivos e sem compromissos sérios a serem cumpridos de parte a parte. “No esforço de melhorar a performance da economia cabo-verdiana é necessário o envolvimento de todos os actores sociais, nomeadamente dos sindicatos que são parceiros fundamentais na melhoria do ambiente económico”.

O MpD diz estar preocupado com as políticas económicas dotadas pelo Governo, e mostra a sua abertura para trabalhar com o Executivo para reverter a situação económica do país, e aumentar o seu rating.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Elsa Vieira,17 dez 2013 18:27

Editado porRendy Santos  em  18 dez 2013 12:00

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.