​Governo “preocupado” com desaparecimento de crianças

PorExpresso das Ilhas, Lusa,6 fev 2018 17:43

Ulisses Correia e Silva
Ulisses Correia e Silva

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, manifestou-se hoje preocupado com o desaparecimento de crianças na cidade da Praia, apelando à população para que colabore fazendo chegar à Polícia Judiciária qualquer informação útil.

"Estamos preocupados, tal como está a sociedade. São fenómenos recorrentes a que estamos empenhados em dar forte combate ao nível das entidades judiciais, mas também é preciso que as pessoas colaborem e façam chegar à Polícia Judiciária qualquer informação que facilite na procura destas crianças", disse Ulisses Correia e Silva.

Desde Novembro que três crianças desapareceram de bairros periféricos da cidade da Praia, sendo o caso mais recente o de dois primos com paradeiro desconhecido desde sábado.

Há ainda o caso de uma jovem de 19 anos que terá desaparecido de casa com um bebé recém-nascido.

A Polícia Judiciária disse estar a trabalhar com a Polícia Nacional para localizar as crianças desaparecidas no sábado e apelou para que qualquer informação sobre o paradeiro seja comunicada às autoridades.

O primeiro-ministro mostrou-se "ciente" de que "há-de descobrir-se exactamente o que aconteceu", escusando-se a "especular" sobre a possibilidade de existir uma rede de tráfico humano a operar em Cabo Verde.

"É preciso apanhar aqueles que estão a fazer este tipo de actos e, em primeiro lugar, recuperar as crianças e depois fazer as acções para que sejam penalizados aqueles que eventualmente estejam a actuar a coberto de actos de crime", disse.

Ulisses Correia e Silva apontou ainda a necessidade de melhorar a eficiência dos sistemas policial e judicial no país, bem como a cultura de segurança na sociedade.

"Temos que melhorar toda a eficiência dos sistemas policial e judicial e também muita educação para a segurança para que as pessoas estejam cientes de que é preciso proteger e que a família também proteja", disse.

O director da Polícia Nacional, Estaline Moreno, assegurou em declarações à Rádio de Cabo Verde, que "as polícias estão a fazer de tudo" para conseguir resultados.

Sem avançar detalhes sobre as acções em curso para "não prejudicar a investigação", Estaline Moreno considerou não ser possível descartar a tese de tráfico humano, ressalvando, contudo, não existirem, de momento, provas sobre a actuação dessas redes em Cabo Verde.

As duas crianças, um rapaz de 09 anos e uma rapariga de 11, desapareceram cerca das 17:00 de sábado do bairro de Achada Limpo, arredores da cidade da Praia.

Desde 14 de Novembro, encontra-se desaparecida outra rapariga de 10 anos, residente no bairro Eugénio Lima, sem que, até ao momento, as diligências efectuadas pelas autoridades tenham tido sucesso na localização da criança.

A 15 de Janeiro, fonte da Polícia Judiciária adiantou que o caso continuava sob investigação, estando em análise várias hipóteses.

Na altura, a mesma fonte sublinhou a "complexidade" de investigação de casos de desaparecimento.

O desaparecimento das crianças está a gerar alarme social no país, com várias personalidades, incluindo o cardeal Arlindo Furtado, a primeira-dama, Lígia Fonseca e a líder da Oposição (PAICV), Janira Hopffer Almada, a manifestarem preocupação e a pedirem respostas sobre os desaparecimentos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,6 fev 2018 17:43

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  6 fev 2018 17:43

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.