Governo "completamente a vontade" para dizer que vai criar mais de 45 mil postos de trabalho

PorSheilla Ribeiro,24 jan 2020 6:02

Luís Filipe
Luís Filipe

O governo está “completamente à vontade” para dizer que vai criar 45 mil postos de trabalho ou “um pouco mais”. Disse esta quinta-feira o porta-voz do Conselho de Ministro, Luís Filipe Tavares.

Luís Filipe, ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades, fez esta consideração durante uma conferência de imprensa de balanço do Conselho de Ministros. 

O Conselho apreciou, de acordo com o governante, a proposta do decreto lei que define o estatuto da carreira diplomática e o decreto que aprova o protocolo entre o Ministério das Finanças de Cabo Verde e vários municípios portugueses.

Relativamente ao primeiro decreto, o ministro afirmou que a alteração do estatuto dos diplomatas vem  no sentido de dignificar e criar condições que estes possam de adaptar ao novo tempo de “muita incerteza e imprevisibilidade”. 

“A diplomacia é um leque muito importante do estado de direito cabo-verdiano, nomeadamente, na atração de investimentos e no financiamento de projetos importantes para o nosso desenvolvimento”, contemplou. 

Em segundo lugar, fez saber, o conselho de ministros  apreciou o decreto que aprova o protocolo entre o ministério das Finanças de Cabo Verde e vários municípios portugueses nomeadamente na Marinha Grande, município de Fundão, Vagos, Marinha Grande, a Câmara de comércio e de Indústria de Aveiro, o Centro de Formação Profissional da Indústria metalúrgica e metal ou mecânica também da região de Marinha Grande. 

O objectivo é intensificar a formação profissional dos jovens cabo-verdianos. 

“Nós prometemos criar, como sabem 9 mil empregos por ano, 45 mil durante a legislatura estamos perfeitamente a vontade para dizer que vamos cumprir rigorosamente aquilo que prometemos eu quero crer que vamos até criar um pouco mais de 45 mil postos de trabalho durante toda a legislatura”, afirmou. 

O programa vai massificar o emprego jovem no país conforme Luís Filipe Tavares. O país vai ter novos centros de formação profissional na área de metalomecânica e da metalurgia, com o paios dessas organizações portuguesas. 

Além disso, o governo vai reforçar os protocolos entre o Instituto de Emprego e Formação Profissional e o Instituto de Emprego Formação Profissional de Portugal para que haja o reconhecimento mútuo dos diplomas. Quem estudar em Cabo Verde terá o reconhecimento do diploma em Portugal e quem estudar em Portugal vai ter o reconhecimento em Cabo Verde.

“Nós vamos ter quadros portugueses para darem formação aqui em Cabo Verde, mas também enviar centenas de jovens para formações muito especificas, metalomecânica, metalurgia, mas também o controlo número por computador que é muito importante em tudo que diz respeito a maquinação industrial”, finalizou.

image

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,24 jan 2020 6:02

Editado porSara Almeida  em  24 jan 2020 15:38

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.