Câmara de Santa Catarina nega indisponibilidade para diálogo

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,3 ago 2021 15:11

A Câmara Municipal de Santa Catarina de Santiago considera justas as reivindicações dos trabalhadores em greve e esclarece que, em sede própria, assumiu o compromisso de analisar cada situação, tendo em conta o seu enquadramento legal.

A garantia foi dada, hoje, à Rádio Morabeza, pelo vereador do saneamento, ambiente e Protecção Civil, Vladimir Brito, numa reacção ao protesto de três dias, iniciado esta segunda-feira por trabalhadores de diferentes sectores da autarquia.

“Vai-se criar a condição para cada um ter a sua compensação e repor alguma justiça. Outro ponto tem que ver com a questão de enquadramento na carreira. Acontece que, depois da aprovação do PCCS, passaram para o regime de contrato, portanto, na questão de progressão fica um bocadinho mais complicado, porque como se sabe a função pública para ter esses direitos salvaguardados tem que ter um conjunto de itens que têm que ser garantidos”, afirma.

Os profissionais reivindicam, nomeadamente, a implementação dos subsídios de risco e de turno, progressões e reclassificações.

Questionado sobre os prazos para responder às reivindicações, Vladimir Brito explica que o horizonte é o orçamento para 2022.

“Vamos aprovar o orçamento dentro de pouco tempo, portanto, o nosso horizonte vai ser sempre o orçamento para 2022. Foi isso que, em representação da Câmara eu disse na DGT, foi isso que a presidente falou ontem no encontro que tivemos com o sindicato. É preciso desenvolver trabalhos para não cometer injustiças e isso vai ser sempre feito em concertação com os sindicatos”, assegura.

Sobre a alegada indisponibilidade da Câmara Municipal para dialogar com os sindicatos sobre os problemas dos trabalhadores, o autarca desmente.

“Quando o sindicato diz que não foram respondidas algumas solicitações, só posso dizer que não é verdade, porque já tivemos dois encontros nos últimos dias, um com a DGT, em que o sindicato não conseguiu provar que mandou qualquer pedido de encontro e não teve resposta”, sublinha.

A greve foi convocada pelos trabalhadores afectos ao Sindicato da Indústria, Serviços, Comércio, Agricultura e Pesca (SISCAP) e deverá terminar esta quarta-feira. O vice-presidente do SISCAP, Francisco Cardoso, promete novas formas de luta caso as reivindicações não sejam atendidas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,3 ago 2021 15:11

Editado pormaria Fortes  em  4 ago 2021 12:44

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.