“Desenvolvimento sustentável requer estabilidade, consensos e compromissos de longo prazo”- Olavo Correia

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,11 out 2021 15:48

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje, na Cidade da Praia, que o desenvolvimento sustentável requer “estabilidade, consensos e compromissos de longo prazo”, assim como programas que impulsionam a mudança e aceleram o progresso.

Para o governante, o desenvolvimento sustentável exige ainda “escolha e priorização” e, também, definição dos aceleradores e, no caso de Cabo Verde, a convergência de todas as ilhas.

“Em 2020, em plena pandemia, realizamos o exercício Cabo Verde Ambição 2030, que resultou na agenda estratégica do desenvolvimento sustentável de Cabo Verde para realizar os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)", afirmou Olavo Correia.

O vice-primeiro-ministro fez estas considerações no acto de abertura da Conferência Nacional sobre o Desenvolvimento, a primeira de uma série de quatro que precedem o processo de elaboração do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS).

O governante acrescentou que o Governo continuará a aprofundar o diálogo com os actores nacionais e os parceiros, além de “promover o conhecimento e o debate permanente sobre os desafios, as soluções, as opções e as prioridades”.

“Vamos apresentar à Assembleia Nacional uma proposta de lei que cria o mecanismo de coordenação de implementação dos ODS em Cabo Verde”, anunciou.

Segundo Olavo Correia, nos últimos cinco anos o executivo reduziu a pobreza absoluta de 35,2% para 26,0% em 2019, o “maior ganho de todos os tempos”.

“Infelizmente, perdemos dois terços deste progresso com a pandemia e a pobreza subiu para cerca de 31,6%”, lamentou, indicando que se registou uma “forte redução” das desigualdades, resultado das apostas “na descentralização, na territorialização das políticas públicas, inclusão social, no desenvolvimento regional e na boa governação”.

“Cabo Verde é hoje o primeiro país da CEDEAO em matéria do índice do desenvolvimento sustentável e ocupamos o quinto lugar em África”, lançou o ministro das Finanças.

Olavo Correia salientou ainda que em cinco anos os progressos do país em matéria do desenvolvimento sustentável resultaram de acções de todos e de cada um dos actores, “cumprindo de forma responsável e empenhada a sua missão”.

“Cabo Verde não falhou com os ODM e, seguramente, não falhará com os ODS”, garantiu, acrescentando que os desafios de desenvolvimento sustentável são de todos.

De 2016 a 2021, frisou Olavo Correia, as despesas para o Estado social passaram de 21 milhões de contos para cerca de 41 milhões de contos, “um aumento de mais de 70%”

“Nunca na história de Cabo Verde houve uma dimensão do Estado social em tão pouco tempo com esta amplitude”, admitiu o governante, concluindo que não é por acaso que o País está a dar um “grande combate à pandemia”.

A Conferência Nacional sobre o Desenvolvimento é realizada em parceria com as Nações Unidas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,11 out 2021 15:48

Editado porSara Almeida  em  12 out 2021 6:43

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.