Santo Antão, São Vicente, Fogo e Santiago foram os palcos da campanha desta quarta-feira

PorInforpress, Expresso das Ilhas,14 out 2021 7:08

Santo Antão, São Vicente, Fogo e Santiago foram esta quarta-feira os palcos da campanha eleitoral dos sete candidatos às eleições presidenciais de 17 de Outubro.

Em Mindelo, Carlos Veiga prometeu que se for eleito, vai criar espaços para o debate da questão da regionalização, por considerar ser necessário.

“Sinto que as pessoas nutrem uma grande amizade por mim, por esta candidatura e estou feliz, muito satisfeito com esta recepção”, numa ilha em que Veiga prometeu, se for mesmo eleito Presidente da República, criar espaços para o debate “tranquilo” da questão da regionalização, por considerar necessário, “de acordo com orientações da Constituição, dar mais poderes às ilhas”.

Manifestou o seu propósito em trabalhar com diversos actores políticos e com a sociedade para encontrar uma solução de consenso necessário, exigência de Constituição, que implica maioria qualificada, sublinhando que a ilha está pronta para dar o salto no pós-covid-19, com a recuperação das obras de infra-estruturação.

Já José Maria Neves afirmou hoje, em Santo Antão, que há questões fundamentais que devem ser esclarecidas relativamente às relações do “candidato oficial” (Carlos Veiga) a movimentos extremistas e populistas e afirmou que a questão exige um debate sério, após o presidente do MpD ter afirmado que “associar o governo de Cabo Verde e Carlos Veiga à extrema-direita é uma patetice maquiavélica”.

“Nas campanhas eleitorais o debate deve servir para confrontos de posições e de opiniões e há questões fundamentais que devem ser esclarecidas relativamente às relações de candidato oficial a movimentos extremistas e populistas que levou à demissão do ministro dos Negócios Estrangeiros”, afirmou.

As propostas, conforme denunciou, foram feitas por Carlos Veiga, na altura embaixador de Cabo Verde nos Estados Unidos, uma situação que, segundo realçou, até motivou o levantamento de um processo de averiguação por parte da Procuradoria-Geral da República e denúncias de envolvimento de suborno.

O candidato Fernando Delgado regressou hoje à ilha de São Vicente após nove dias em campanha eleitoral nas ilhas do Sal, Boa Vista e Santiago, esta última que, disse, lhe deu “uma ideia positiva para o dia 17”.

“Recebi mensagens de incentivo do tipo ‘é de ti que precisamos’, ‘és do terreno, temos garantia’ e é claro que vou de Santiago igual como saí de Santo Antão, Sal e Boa Vista”, considerou.

Questionado se muda algo na sua estratégia de campanha nesta recta final, Fernando Delgado disse que vai manter “a mesma ideologia, a mesma vontade e entrega total”, para mostrar aos cidadãos os objectivos da candidatura, que tem “o rosto virado para o povo cabo-verdiano”.

Por outro lado, Joaquim Jaime Monteiro, defendeu a criação de um Museu Identitário que integre todos os locais com valores patrimoniais em Cabo Verde.

Em declarações aos jornalistas, depois de apelar ao voto na sua candidatura aos moradores da “Cidade Berço”, Joaquim Jaime Monteiro notou que Cidade Velha será o “fulcro” de todo esse conjunto de espaços que se acoplariam a esse museu identitário.

“Trata-se de um património que pertence a todas as ex-colónias portuguesas, de maneira que historicamente pertence a toda comunidade lusíada”, defendeu Joaquim Jaime Monteiro, reiterando que “está nesta luta para o bem estar e dignidade dos cabo-verdianos”.

Em Santa Catarina, Hélio Sanches propôs edificar um memorial Amílcar Cabral, por considerar que é um património da nação cabo-verdiana, guineense e da humanidade.

“Inspirei-me muito no ideário de Amílcar Cabral que foi um político exemplar no continente africano e em Cabo Verde e considero que é um património da nação cabo-verdiana, guineense e da humanidade”, referiu.

“Como futuro Presidente da República, prometo ao povo de Santa Catarina e aos combatentes da liberdade da pátria de Achada Falcão, particularmente da localidade de Djeu, juntamente com o governo edificar um grande memorial dedicado a Amílcar Cabral”, apontou.

O candidato Casimiro de Pina passou o dia de hoje no mercado de São Filipe e em localidades do interior do município, onde apelou ao “voto massivo” na sua candidatura.

Casimiro de Pina contactou o eleitorado de várias localidades, apresentando-se sempre como um foguense que quer mudar o rumo da cultura política e defender os direitos fundamentais dos cidadãos nacionais e estrangeiros residentes no País.

Por isso, e pela forma como tem sido acolhido pelas pessoas da sua terra, Casimiro de Pina acredita que no dia 17 de Outubro sairá vencedor destas eleições, uma vez que que o seu propósito, explicou é defender os “direitos da Constituição”.

Na ilha de Santiago, em Cidade Velha, Gilson Alves assegurou que na sua política “primeiro vêm as pessoas e depois os monumentos”.

O candidato começou por dizer aos jornalistas que na sua visão de Presidente da República “mais forte” vai elevar o estatuto do País e representar Cabo Verde e Cidade Velha num patamar “de respeito, a nível de algo que nunca existiu” na arena internacional.

“Mas, para Cidade Velha ser preservado para a humanidade, Cabo Verde também tem de ser preservado, se Cabo Verde desaparecer neste entulho de turismo, de pobreza e desesperança, Cidade Velha não vai a lado nenhum”, afiançou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Inforpress, Expresso das Ilhas,14 out 2021 7:08

Editado porAndre Amaral  em  14 out 2021 17:39

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.