Oitava Conferência Ministerial do Fórum de Cooperação China-África dá velas à construção de uma Comunidade de Destino Global de Futuro Compartilhado

A Oitava Conferência Ministerial do Fórum de Cooperação China-África foi realizada em Dakar, a capital do Senegal, do dia 29 a 30 de novembro de 2021.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, Dr. Rui Alberto de Figueiredo Soares, e o Ministro da Indústria, Comércio e Energia Eng. Alexandre Dias Monteiro, em representação de Cabo Verde, participaram na reunião. O Presidente da China, Xi Jinping, fez o discurso na cerimónia de abertura da conferênciaintitulado “Vamos ajudar uns aos outros no mesmo barco, levar adiante o passado e dar as mãos para construir a comunidade China-África com um futuro compartilhado. ” O Presidente Xi Jinping destacou que este ano marca o 65º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre a China e a África. Nos últimos 65 anos, a China e a África forjaram uma irmandade inquebrantável na luta contra o imperialismo e o colonialismo, e iniciaram um caminho distinto de cooperação na jornada rumo ao desenvolvimento e à revitalização. Juntos escrevemos um explêndido capítulo de assistência mútua em meio de mudanças complexas, e demos um exemplo glorioso para criação de um novo modelo de relações internacionais.

O Presidente Xi Jinping apontou: por que as relações China-África são boas? Por que a amizade China-África é profunda? A chave para uma estreita relação China-África e um profundo vínculo de amizade está no espírito eterno, que apresenta "amizade sincera e igualdade, ganha-ganha para benefício mútuo e desenvolvimento comum, equidade e justiça, e progresso com os tempos e abertura e inclusão". Este reflete a experiência dos dois lados de compartilhar o bem e o mal e serve como fonte de força para promover os laços amistosos bilaterais. A China nunca esquecerá a profunda amizade dos países africanos e continuará a defender o conceito de verdadeira sinceridade e justiça e benefício corretos, e trabalhará com amigos africanos para transmitir e levar adiante o espírito de amizade e cooperação China-África de geração em geração.

Sua Excelência Wang Yi, Conselheiro de Estado e Ministro dos Negócios Estrangeiros da China, destacou durante sua participação neste fórum que o Fórum de Cooperação China-África é uma importante plataforma para o diálogo coletivo e um mecanismo eficaz para a cooperação pragmática entre China-África e tornou-se um paradigma da cooperação no desenvolvimento internacional e um modelo de cooperação Sul-Sul, graças a 20 anos de esforços conjuntos de ambos os lados. Desde acriação do fórum, empresas chinesas construíram na África mais de 10 milkm de ferrovias, quase 100 milkm de rodovias, quase mil pontes, 100 portos e mais de 80 instalações elétricas em larga escala, ajudaram países daÁfrica a construir mais de 130 instalações médicas, 45 ginásios e mais de 170 escolas, treinou mais de 160 milprofessionais em diversas áreas para o continente.Até agora, as equipas médicas chinesas já trataram 230 milhões de pacientes na África, e um serviço de rede patrocinado pela China está servindo quase 700 milhões de terminais de usuários. Hoje em dia, as conquistas da cooperação bilateral podem ser testemunhadas em toda a África e sentidas em comunidades e famílias locais. A solidariedade e a assistência mútua entre China e África não só consolidaram o status político independente da África, como também fortaleceram a capacidade do desenvolvimento sustentável no continente,apresentandoum quadro magnífico da amizade bilateral.Após a Cúpula de Beijing de 2018 e a Sétima Conferência Ministerial do FOCAC, a China e a África superaram o impacto da pandemia, implementaram as "oito grandes iniciativas" e colocaram em prática apoios de financiamento correspondentes, disse Wang, acrescentando que o comércio bilateral nos primeiros 10 meses deste ano excedeu US$ 200 bilhões. Espera-se que atinja uma nova alta até o final de 2021, tornando a China no maior parceiro comercial da África por 13 anos consecutivos. O progresso diário na cooperação China-África está abrindo novos horizontes para a amizade entre ambos, criando novas oportunidades para o desenvolvimento compartilhado e trazendo novos benefícios para o povo chinês e o povo africano.

image

O Conselheiro de Estado e Ministro dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, apontou na reunião que, nos últimos três anos, a China e a África trabalharam juntas para superar os efeitos adversos da pandemia da Covid-19 e promoveram de forma constante a Cúpula de Pequim do Fórum da CooperaçãoChina-África em setembro de 2018 (Sétima ConferênciaMinisterial), tendo logrado resultados concretos no seguimento determinados pela Conferência nas seis vertentes seguintes: em primeiro lugar, a confiança políticamútuaChina-África atingiu um novo nível e os intercâmbios de alto nível continuam a desempenhar um importante papel de liderança nas relações China-África; em segundo lugar, a solidariedade e a assistência mútua China-África têm servido como modelo de cooperaçãointernacional de combate à Pandemia; em terceiro lugar, a cooperação económica e comercial China-África tem alcançado novos resultados. A cooperação nas áreas de economia digital, livre comércio e investimento privado desenvolve-se num nível mais profundo e superior; em quarto lugar, é a realização de um novo desenvolvimento cultural na China-África intercâmbios; em quinto lugar, é o aprofundamento e solidificação da cooperação China-África em matéria de paz e segurança. Como o segundo maior patrocinador de verba destinada à manutenção da paz da ONU, cerca de 75% das verbas são usadas na África. Atualmente, 1.800 militares chineses participam nas operações de manutenção da paz da ONU na África. Sexto, os efeitos positivos do fórum continuam a ser divulgados e se tornar uma contraparte internacional líder. A China tornou- se a bandeira dacooperação com a África, o modelo da prática do multilateralismo e benefício mútuo e resultados ganha-ganha. Seu efeito de demonstração levou a comunidade internacional a aumentar o investimento em África e injetar nova energia paraa paz duradoura e o desenvolvimento sustentável da África.

O Presidente Xi Jinping apresentou quatro propostas na Conferência de Dakar do Fórum de Cooperação China-África sobre a construção de uma comunidade de futuro compartilhado China-África na nova era: persistir na unidade para combater a pandemia, aprofundar a cooperação pragmática, promover o desenvolvimento verde e defender a equidade e a justiça. O mundo precisa de um verdadeiro multilateralismo. Paz, desenvolvimento, igualdade, justiça, democracia e liberdade são os valores comuns de toda a humanidade e representam as aspirações permanentes da China e da África. Todos nós defendemos um caminho de desenvolvimento adequado à nossa própria unidade, estamos comprometidos em salvaguardar os direitos e interesses dos países em desenvolvimento e todos nos opomos à interferência em assuntos internos, discriminação racial e sanções unilaterais. Devemos defender as proposições de justiça dos países em desenvolvimento e transformar nossas aspirações e interesses comuns em ações comuns.

Quatro documentos finais foram emitidos nesta reunião. Um é a Declaração de Dakar da Oitava Conferência Ministerial do Fórum de Cooperação China-África; o segundo é o Plano de Ação de Dakar (2022-2024) do Fórum de Cooperação China-África; o terceiro é a Declaração de Cooperação de Mudanças Climáticas; o quarto é a Visão 2035 para a Cooperação China-África.Como o primeiro plano de três anos da visão, a China e a África implementarão conjuntamente os "Nove Projetos". São na área médica e saúde, redução da pobreza e desenvolvimento agrícula, promoção do comércio, promoção de investimentos, inovação digital, desenvolvimento verde, desenvolvimento de capacidades, intercâmbio cultural e pessoa a pessoa, bem como paz e segurança.

O consenso mais importante alcançado pela China e pela África durante a conferência pode ser resumido nos cinco aspectos seguintes. Em primeiro lugar, ambos os lados promoverão o espírito de amizade e da cooperação China-África.Em segundo lugar, China e África trabalharão juntos para derrotar a pandemia. A China fornecerá mais 1 bilhão de doses de vacinas para a África. Em terceiro lugar, ambos os lados trabalharão para enriquecer a cooperação China-África e promover a transformação e a escalada da cooperação China-África em áreas como saúde, melhoria da vida das pessoas, desenvolvimento verde, economia digital e capacitação. A aposta da China na África permanece o mesmo, e o ímpeto da cooperação China-África permanece o mesmo. Em quarto lugar, os dois lados trabalharão juntos para praticar o verdadeiro multilateralismo. A China e a África continuarão a apoiar-se firmemente em questões de interesses centrais e grandes preocupações, e promoverão os valores humanos compartilhados de paz, desenvolvimento, equidade, justiça, democracia e liberdade, para dar maiores contribuições para salvaguardar a equidade mundial e a justiça.Em quinto lugar, a China e a África construirão conjuntamente uma comunidade China-África com um futuro compartilhado na nova era. A Iniciativa de Desenvolvimento Global defendida pelo Presidente Xi Jinping estará estreitamente alinhada com a implementação da "Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável" e da "Agenda 2063" da União Africana, e avançará lado a lado na estrada do desenvolvimento e da revitalização.

image

Cabo Verde tem sidosempre um participante ativo na constituição do Fórum de Cooperação China-África. S.E. o Presidente Dr. José Maria Neves, S.E. o ex-Presidente Dr. Jorge Carlos Fonseca, e S.E. o Primeiro-Ministro Dr. José Ulisses Correia e Silva representaram o Governo de Cabo Verde nas três cimeiras do fórum. A presença doMinistro dos Negócios Estrangeiros, S. E. Dr.Rui Alberto de Figueiredo Soares na Oitava Conferência Ministerial do Fórum foi sua segunda viagem ao Fórum depois de sua participação na Primeira Conferência Ministerial do Fórum em 2000 na qualidadedo então Ministro dos Negócios Estrangeiros. No processo de elaboração dos quatro documentos finaisaprovados neste fórum, aparte cabo-verdiana participou ativamente nas negociaçõesdos documentos e fez contribuições positivas. Em particular, as propostaslevantadasporCabo Verdeà "Declaração sobre a Cooperação da China para Enfrentar as Mudanças Climáticas" foram refletidas de maneira importante. Muitos êxitos importantes da cooperação amistosa entre a China e Cabo Verde foram alcançados nos 21 anos após a criação do fórum. Por exemplo, o Estádio Nacional de Cabo Verde apoiado pelo governo chinês, o projeto de restauração e ampliação do Palácio Presidencial, o projeto de reparação do Palácio da Assembleia Nacional, o projeto do novo Campus da Universidade de Cabo Verde, etc.No início deste ano, a China e Cabo Verde assinaram oProtocolo de Cooperação Económica e Tecnológica. Estive presente na cerimónia de assinatura do documento de cooperação entre a Organização Mundial da Alimentação e Agricultura (FAO) e o Ministério da Agricultura de Cabo Verde para utilizar a ajuda chinesa no apoio ao desenvolvimento da ciência e tecnologia agrícola no país. A China e Cabo Verde celebraram conjuntamente o 45º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, o 46º aniversário da independência de Cabo Verde e o 72º aniversário da fundação da República Popular da China. O Congresso Nacional do Povo da China e os dirigentes da Assembleia Nacional de Cabo Verde realizaram uma videoconferência, tendo-se trocado cartas entre os dirigentes dos dois paísesem diversas ocasiões, o nível de comunicação e coordenaçãoconcernente às questões de interesses nucleares tem sido continuamente melhorado. Os dois povos trabalharam juntos no processo de luta conjunta contra a pandemia, e a amizade foi ainda mais consolidada e aprofundada. A Universidade de Cabo Verde abriuo curso de llicenciatura em língua cchinesa e começou a inscrição de graduação.A cooperação na área de intercâmbios culturais entre a China e Cabo Verde atingiu um novo patamar. As empresas chinesas como a Huawei participam ativamente na construção da economia digital de Cabo Verde, e o comércio não governamental entre China e Cabo Verde está-se tornando cada vez mais dinâmico. No âmbito do Fórum de Cooperação China-África, as comunicaçõese cooperações pragmáticas entre a China e Cabo Verde estão com mais novas oportunidades em várias áreas.

Por ocasião dos 21 anos do estabecimento do Fórum de Cooperação China-África, acreditamos que sob a liderança e orientação estratégica dos líderes China-África e os esforços conjuntos de ambas as partes, seremos capazes de abrir os próximos "Vinte Anos Dourados "do Fórum de Cooperação China-África, maiores sucessospodem seralcançados no caminho da Construção da Comunidade de Destino ComumChina-África.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:DU XIAOCONG, EMBAIXADOR DA CHINA EM CABO VERDE,16 dez 2021 11:57

Editado porExpresso das Ilhas  em  17 dez 2021 10:44

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.