Cabo Verde em destaque no festival Kugoma

PorChissana Magalhães,13 ago 2018 11:48

Imagem de marca do Kugoma
Imagem de marca do Kugoma(divulgação)

Filmes cabo-verdianos ou sobre Cabo Verde vão ter programação especial no Kugoma Fórum de Cinema de Moçambique cuja edição 2018 decorre de 30 de Agosto a 1 de Setembro com foco no cinema africano e afro-brasileiro.

A Cabo Verde cabe as honras de abertura desta 9ª edição do festival cinematográfico moçambicano, com a exibição do cineconcerto “Cabo Verde 1937”, numa edição de 15 minutos em que a montagem será acompanhada por uma acordeonista. Trata-se das primeiras imagens em movimento de Cabo Verde de que há registo, feitas por Mário Rose, um militar e desportista nascido nos EUA, filho de pais cabo-verdianos, em viagem ao arquipélago e apresentadas no Kugoma num momento de homenagem ao arquipélago e à memória.

Também o filme oficial de abertura leva Cabo Verde a Moçambique. Trata-se do longa-metragem Djon África, de Filipa Reis e João Miller Guerra, co-produção Portugal/Cabo Verde, filmado em várias ilhas do arquipélago. Conta a história de Djon África, como é conhecido o jovem Miguel Moreira, que parte em buscadas suas origens e de um pai que nunca conheceu.

Convidado especial do Kugoma, o director executivo do Plateau Filme Festival, Ivan Santos, leva na bagagem uma selecção de documentários cabo-verdianos: Sandgrains (Jordie Montevecchi e Gabriel Manrique, 2013), Casalata (Ângelo Torres e Lara Plácido, 2013), Homestay (Lolo Arziki, 2017), Tarrafal 35 (João Paradela, 2016), Revolução nos Rabelados (Mário Cabral, 2012), Espelho de Prata (Edson Delgado e Diogo Bento, 2012) e Nha Storia (Inês Carrola, 2016).

Santos também participa da secção de debates onde irá introduzir o tema "Mercados audiovisuais lusófonos”, no segundo dia do fórum.

Outra convidada especial e presença cabo-verdiana no evento é a realizadora e produtora Samira Vera-Cruz que leva para o programa paralelo de longas de ficção o seu primeira longa-metragem, o thriller psicológico “Sukuru” (2017).

A cineasta, que já tinha participado em duas outras edições do festival, estará ao lado da brasileira Ariadini Zampaulo a dirigir uma oficina de realização com o título “Mulheres e Câmaras”.

Brasil é o outro país em destaque nesta edição do Kugoma Fórum de Cinema de Moçambique, com a presença de convidados e apresentação de documentários.

Com produção da realizadora e produtora Diana Manhica, o Kugoma Fórum de Cinema de Moçambique é uma plataforma de exibição de cinema moçambicano e africano que promove o intercâmbio, debates e oficinas criativas. Está desde o início ligado á criação do Museu do Cinema de Moçambique.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Chissana Magalhães,13 ago 2018 11:48

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  14 ago 2018 0:35

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.