O primeiro Dia da Morna traz conversa, imagens e muita música

PorChissana Magalhães,1 dez 2018 10:28

B. Leza, um dos grandes compositores da morna
B. Leza, um dos grandes compositores da morna(IPC Divulgação)

Assinala-se no dia 03 de Dezembro o primeiro Dia da Morna. A efeméride criada pelo parlamento cabo-verdiano em Fevereiro deste ano, vai ser celebrada com uma série de iniciativas, coordenadas pelo Ministério da Cultura através do Instituto do Património Cultural.

 No Dia da Morna serão vários os momentos para assinalar a ocasião especial, a começar com um toque de alvorada pela Banda Militar na Praça Alexandre Albuquerque, numa parceria com a Câmara Municipal da Praia e o Comando da Região Militar. A conferência “Pensar B. Leza e a Morna”, a exposição “Morna em Sí” – ambas na Assembleia Nacional - e a performance “Morna di Sodad” pelo grupo Raiz di Polon, no aeroporto da Praia, completam o programa oficial de actividades no Dia da Morna.

Com a participação de pesquisadores, a conferência irá debruçar-se sobre vida e obra do patrono do Dia da Morna, o música B. Leza, nascido nessa data. Já a exposição “ Morna em Sí”, que será itinerante, irá apresentar alguns dos documentos que constituem o dossier de candidatura, buscando mostrar a história, a evolução e o momento actual desta manifestação cultural.

“ Propõe-se uma exposição emotiva, com museografia moderna, capaz de albergar e transmitir a alma e o sentir da morna, tanto para quem escuta como para quem a interpreta”, informa o dossier de imprensa facultado.

Para lá do Dia da Morna, ao longo do mês de Dezembro promover-se-á visitas de escolas á mostra que, conforme explica o presidente do IPC, Jair Fernandes, será uma exposição interactiva, em que os visitantes poderão assistir a conteúdo audiovisual e apreciar actuações ao vivo. Em sentido contrário, as escolas irão acolher técnicos do IPC para workshops e tertúlias sobre a morna.

A actividade com os Raiz di Polon é também para repetir, todas as sextas-feiras, devendo ter lugar á chegada de voos de Portugal e dos EUA, e pretende acolher com música e dança os viajantes que chegam, entre eles também os turistas.

Outro evento que se quer impactante é o concerto intimista e, homenagem à Cesária Évora, a acontecer no Palácio da Cultura Ildo Lobo no dia 17. “Encontro de Gerações”, assim se chama, pretende “resgatar a tradicionalidade da música cabo-verdiana e, essencialmente, da morna “ num encontro onde diferentes gerações de músicos e intérpretes prestarão a sua homenagem à Diva dos Pés Descalços no 5ª aniversário da morte da maior embaixadora de Cabo Verde no mundo. Num ambiente diferenciado, dez artistas irão brindar o público com mornas eternizadas por Cize.

Evento já consolidado na agenda cultural da cidade da Praia e bastante acarinhado pelo público este ano a Noite Branca, marca da Câmara Municipal da Praia, irá contar com uma actividade especial em homenagem á morna e às mulheres. HM2 irá ter lugar na rua pedonal 5 de Julho com vozes femininas em destaque. Solange Cezarovna e Cremilda Medina são as duas cantoras já anunciadas.

O IPC está a sensibilizar escolas e todas as câmaras municipais do país a assinalarem o Dia da Morna com actividades que prestigiem este género musical e os seus criadores e intérpretes e engajem as pessoas na sua promoção.

A instituição do Dia da Morna foi uma proposta do músico e pesquisador Vasco Martins que agora, em parceria com Any delgado e António Neves, acaba de criar o Prémio B. Léza. O prémio, que se materializa numa estatueta de vidro criada pelo escultor Fernando Eduino Silva, irá reconhecer “um compositor em vida, na tradição do compositor-letrista, que tenha contribuído com a sua obra ou com uma composição para a grandeza da Morna”. O galardão será atribuído pela primeira vez já na segunda-feira, num evento denominado ‘Orgulho Nacional - Mornas de B. Leza", em Roterdão.

Para 2019 também já se desenham várias iniciativas institucionais, dentre as quais a designada “Agenda Morna”. “Uma frente diplomática a ser liderada pelo próprio ministro da Cultura e que consistirá principalmente na mobilização da nossa diáspora”, avança Jair Fernandes que aproveitou para se congratular com a atribuição do ttulo de Património atribuído esta semana ao reggae, género musical nascido na Jamaica e que teve em Bob Marley o seu principal divulgador.

Agendada para Dezembro de 2019, a reunião da comissão da UNESCO que, se tudo correr bem, fará a proclamação da morna como Património da Imaterial Humanidade terá lugar na Colômbia. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Chissana Magalhães,1 dez 2018 10:28

Editado porJorge Montezinho  em  2 dez 2018 10:55

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.