Osga Filmes estreia hoje nova produção

PorChissana Magalhães,28 fev 2019 17:32

É uma pequena produtora de cinema, que se assume como um laboratório para experimentação. A partir de Mindelo, a Osga Filmes já deu ao cinema cabo-verdiano 4 filmes. A 5ª produção, “Anjo - O sangue e a obra”, estreia hoje no Centro Cultural do Mindelo.

Há dois anos, a Osga Filmes estreava a média metragem “Mor”, até aqui o projecto mais ambicioso desta produtora que tem no seu núcleo um pequeno grupo de amigos, cada um com a sua valência na área do audiovisual. “Anjo – O sangue e a obra”, curta-metragem de 22 minutos e assumidamente um drama, chega a partir de hoje ao público.

A história, conforme avança o realizador Helder Doca, gira em torno de um personagem algo misterioso e que por isso sofre o preconceito das pessoas.

“O filme traz temas como o desaparecimento de crianças, a paternidade – a partir da questão da separação dos pais – e também aborda um pouco os direitos autorais”, diz o mesmo sobre este drama filmado exclusivamente em Mindelo e que traz como banda sonora a música de Vasco Martins.

Cartaz do filme (Foto: Helder Doca/Design: Neu Lopes
Cartaz do filme (Foto: Helder Doca/Design: Neu Lopes

Do elenco fazem parte muitos nomes ligados ao teatro, não fosse esse o único espaço de formação de actores disponível em Cabo Verde. Edson Fortes Gomes, Edilson Fortes, Christian Neves, Sandra Monteiro, Irina Fonseca, José Bettencourt e Milanka Vera-Cruz são alguns dos actores que compõe o elenco.

Já na equipe técnica, Helder Doca, que assume a direcção de fotografia, divide a assinatura do guião com Didier Tédesco e a câmara com Mya Almeida. Esta por sua vez reparte com Didier Tédesco os créditos quanto à direcção artística. Neu Lopes (edição, som e mixagem), Gil Silva (luz) e Ivan Lopes (assistente de realização) são os outros elementos desta equipe onde a estreita colaboração e o multitasking é essencial.

Sem fins lucrativos, toda a equipe da Osga Filmes trabalha voluntariamente, por “acreditar no cinema cabo-verdiano que está a construir-se e que já tem alguma história”.

“O nosso maior patrocínio é a adesão de colaboradores, dispostos a trabalhar por amizade”, constata o realizador e fotógrafo que admite que também este projecto não foi candidato aos fundos anualmente disponibilizados pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas. Entretanto, revela que o projecto que se segue “será uma longa-metragem e estamos a pensar candidatá-la ao próximo edital da Associação de Cinema e Audiovisual”.

Ainda sobre “Anjo”, Helder Doca diz que foi mais uma oportunidade para a equipe experimentar e evoluir a nível técnico, resultando num trabalho onde aspectos como os movimentos de câmara, a correcção de cores, a captação de som, entre outros, registaram uma notória melhoria. O resultado, se aceite a inscrição, deverá passar pelos festivais de cinema do país.

“Até aqui não procuramos estar em festivais e mostras internacionais mas com o novo projecto, que será um longa, estamos a considerar fazê-lo”.

Com o seu filme anterior, “Mor” (de Fevereiro de 2017), a Osga Filmes marcou presença em todos os festivais de cinema de Cabo Verde – Plateau (Praia), Oiá (Mindelo) e Cabo Verde Internacional Film Festival (Santa Maria) – conseguindo neste último o prémio de Melhor Longa-metragem Nacional.

"A Boneca", "Mor", "Ego" e "Ego 2" são os outros títulos a comprem o portefólio da produtora, sendo os dois últimos “um projecto de filmes de um minuto (excluindo os créditos) com cenas de um mesmo tema”, assinados por Helder Doca e interpretados por Nuno Karantonis, produzidos em Outubro de 2017.

Anjo – O sangue e a obra estreia hoje em duas sessões, às 19 e às 20 horas, no Centro Cultural do Mindelo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Chissana Magalhães,28 fev 2019 17:32

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 nov 2019 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.