SCM assina mais acordos de reciprocidade

PorExpresso das Ilhas,29 mai 2019 14:34

SCM e CAPASSO
SCM e CAPASSO

A Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) acaba de assinar contratos de reciprocidade com a Coposers Authors and Publishers Association (CAPASSO) e a South African Music Organization (SAMRO), na África do Sul.

A assinatura de acordo de reciprocidade com a CAPASSO é mais um passo determinante para a consolidação da missão da Sociedade Cabo-verdiana de Música, e o início da protecção das obras musicais dos seus membros e associados nas plataformas digitais.

Segundo uma nota chegada a nossa redacção, esta iniciativa vai igualmente ao encontro do plano de actividades da SCM para o ano este ano.

Além dessa assinatura, a SCM recebeu um dia de formação na sua congénere CAPASSO, para o reforço das competências da SCM para o licenciamento das Plataformas Digitais. 

Esta formação para a SCM é uma oportunidade crucial para aperfeiçoar as relações internacionais geridas pelo departamento de relações internacionais, num momento em que se encontra numa fase de gestão dos protocolos de reciprocidade assinados, com vista ao devido pagamento pela utilização dos catálogos internacionais, cujos acordos de reciprocidades permitem que seja defendidos pelas entidades congéneres.

Este treinamento está vocacionado para o licenciamento no sector digital, prioritário para todas as entidades de gestão colectiva do mundo, pelo que a SCM vê neste encontro uma oportunidade para reforçar o seu conhecimento nesta fase preparatória de negociações com as plataformas.

image

SCM e SAMRO assinam acordo de reciprocidade

A SCM assinou na semana passada, um acordo de reciprocidade com a entidade de Gestão Colectiva de Direitos de Autor  South African Music Organization (SAMRO), na África do Sul.  

Com assinatura desse acordo, a SCM terá a legitimidade para defender um catálogo de mais de 2 milhões de obras musicais administradas por esta entidade de gestão colectiva.

Conforme a mesma fonte, esta assinatura é um passo determinante na estratégia de defender o músico e autor cabo-verdiana também na África do Sul.

Para SCM, a SAMRO é um grande exemplo para o continente africano no campo da defesa do direito do autor. “Tem vindo a desenvolver desde 1960 o trabalho da organização de gestão colectiva dos direitos de autor neste país, muito rico musicalmente”.

A Presidente Solange Cesarovna e o Técnico do Departamento de Operações da SCM, Adilson Pereira, participaram, ainda de uma formação que teve a duração de uma semana, em Joanesburgo, ministrada pela SAMRO, entidade de gestão colectiva dos direitos do autor da África do Sul, líder do ranking das cobranças e das distribuições do Comité Africano da CISAC.

<br>
Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,29 mai 2019 14:34

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  30 mai 2019 7:19

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.