Guitarrada do Atlântico homenageia Armando Tito

PorDulcina Mendes,28 jun 2019 12:03

É já hoje que acontece a segunda edição do Festival Internacional de Guitarra. Um evento que reúne num só palco vários mestres desse instrumento musical.

Esta edição será em homenagem ao músico Armando Tito, um grande guitarrista cabo-verdiano que desde muito cedo mostrou o seu gosto por este instrumento musical.

A segunda edição do Guitarrada do Atlântico está mais internacional, pois traz um grande guitarrista português que é o Pedro Joia. “Estamos com um guitarrista internacional, o que não tinha acontecido no ano passado, isso quer dizer que de ano para ano, vamos evoluir e introduzir coisas novas”, afirma o director artístico da Guitarrada do Atlântico, Manuel de Candinho.

“Teremos também músicos cabo-verdianos que vivem fora do país, como Kim Alves e Vuca Pinheiro. Acho que isso dá um outro ênfase ao evento, sabemos que temos guitarristas espalhado por todo o mundo, por isso não podemos convidar só os que estão no país”, avança.

A abertura do evento estará a cargo de uma criança que quer mostrar o seu dote artístico. Além dos nomes já mencionados, este evento contará com a participação de Kaku Alves, Manuel de Candinho e Palinh Vieira. Haverá ainda um momento de homenagem que será abrilhantado com o som de guitarra de Armando Tito.

Conforme o director artístico da Guitarrada do Atlântico, esta homenagem é uma forma de valorizar todo o trabalho que este senhor tem feito na música de Cabo Verde. “Armando Tito é um grande ícone da música cabo-verdiana, é um homem que tem tocado muito na sua vida, pois devemos valorizá-lo, e mostrá-lo que reconhecemos todo o seu trabalho em prol deste instrumento e da música de Cabo Verde”.

Manel de Candinho espera ter casa cheia, para aplaudir este evento que pretende criar raízes.

Este ano, conforme explicou, estão com menos patrocínios em relação ao ano passado, mas isso não tirará o brilho ao evento que visa valorizar o instrumento mais popular de Cabo Verde. “A guitarra é um instrumento de muita importância, se abraçarmo-la e incentivamos a juventude a valorizar este instrumento no futuro teremos menos problema de desemprego”.

Para Manel de Candinho, realizar este evento em Cabo Verde é um desafio muito grande. “Realizar este evento é muito trabalhoso, num país com dificuldade financeira como Cabo Verde em que as pessoas não têm vontade de apostar, temos que ter uma grande força de vontade para pôr as coisas a andar”.

“Um instrumento deste devemos valorizar, e é neste sentido que surgiu este projecto guitarrada. Temos que mostrar os instrumentos que o país tem e trazer também guitarristas de fora para intercâmbio e partilhar connosco as suas experiências”, acrescenta.

A segunda edição da Guitarra do Atlântico acontece na Assembleia Nacional, no dia 28, às 21 horas.

Quem é Armando Tito

Armando Tito é natural de São Vicente. Começou a tocar desde muito cedo. Gravou pela primeira vez com a cantora Cesária Évora, em São Vicente, ainda menor de idade.

Descendente de uma família de músicos, logo se tornou também conhecido. Toca diversos instrumentos como violão, violino e cavaquinho com muita sabedoria, mas é com o violão que mais tem encantado.

O músico cabo-verdiano vive em Portugal desde o início dos anos 80, trabalhou como músico do “Voz de Cabo Verde” e fez parte do grupo “Morabeza”. Já tocou com conhecidos músicos cabo-verdianos como Bana, Cesária Évora, Paulino Vieira e Ildo Lobo.

Texto originalmente publicado na edição impressa do expresso das ilhas nº 917 de 26 de Junho de 2019. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,28 jun 2019 12:03

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  29 jun 2019 9:47

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.