Jovem cria editora e fundação para ajudar os que mais precisam

PorDulcina Mendes,7 ago 2022 8:54

A jovem Destaney Andrade é filha de pais cabo-verdianos. Nasceu nos Estados Unidos da América, mas vive actualmente em Cabo Verde. Depois de algum tempo a escrever sobre tudo que se passava na sua vida, Destaney Andrade decidiu criar a sua própria editora, a Kriola Books. Com a editora, a jovem pretende publicar livros de cabo-verdianos que se interessam pela escrita.

“Há dois anos que criei a minha editora denominada Kriola Books. Comecei a escrever em 2015, quando lancei o meu primeiro livro. Encontrei um serviço nos Estados Unidos da América que me deixou lançar o meu livro, pois gosto de escrever sobre tudo o que passa na minha vida, e é a minha terapia”, afirma.

“Antes de abrir a minha editora e a Fundação para o Fogo, tentei encontrar diferentes serviços, coisas que tenho acesso nos Estados Unidos da América e que não consigo encontrar em Cabo Verde. A ideia é dar às mulheres cabo-verdianas a mesma oportunidade que tive nos Estados Unidos da América”, explica a jovem.

Em Cabo Verde, quando encontrou na rede social Facebook o grupo `Lugar de Mudjer` decidiu criar a sua própria editora. “Em Junho deste ano lancei o primeiro livro intitulado`Canja pa nos Alma`, que conta com a participação de 27 escritores cabo-verdianos que vivem em países diferentes. O livro traz poemas em língua cabo-verdiana, portuguesa e inglesa. Nos Estados Unidos da América tive muitos problemas para encontrar a minha cultura, porque só aprendi a falar crioulo em casa com a minha mãe”.

Esse livro pode ser lido por qualquer pessoa, por conter poemas em três línguas diferentes. Para Destaney Andrade a ideia é proporcionar a outras pessoas a oportunidade de ter acesso a obras que trazem três línguas, isto porque se uma pessoa não entende inglês, pode entender português ou crioulo.

“Como tenho uma filha quero que ela tenha acesso àquilo que não tive. Levei muito tempo para descobrir o que queria fazer com a minha arte e os meus estudos, porque tinha falta de conexão com a cultura de Cabo Verde”, conta.

A jovem disse que quando decidiu avançar com o projecto teve que ir à procura de pessoas interessadas em escrever ou publicar os seus poemas. “Para que o livro se concretizasse, coloquei cartazes em diversos lugares à procura de pessoas que escrevem poemas. Depois disso recebi poemas de cabo-verdianos residentes em vários países. Compilei todos os poemas dos 27 escritores que decidiram facultar-me as suas escritas e coloquei tudo no livro `Canja pa nos Alma`”.

A ideia com a Kriola Books é fazer um livro de poemas todos os anos. Na primeira edição deste livro trouxe poemas de 27 escritores e no segundo Destaney Andrade pretende trazer 100 novos autores cabo-verdianos, “porque um livro é um registo, algo que pode ficar para os nossos filhos e netos’’. É algo que conseguimos pegar, para saber aquilo que sentimos e pensamos”.

Destaney Andrade sublinhou que tudo o que tem feito são coisas que sempre sonhou fazer. “Na segunda edição quero fazer um livro intitulado `Catxupa pa nos Alma`, e com isso, a ideia é ir a diferentes escolas secundárias para explicar aos alunos em que é que consiste o nosso projecto”.

Desde da sua criação a Kriola Books já publicou quatro livros. Desses quatro livros, um é de poemas que será lançado anualmente e três sobre outros temas. “Quero todos os anos publicar um livro de poemas com vários escritores cabo-verdianos, porque um dia quero ter a minha própria livraria. Além desse livro anual, o nosso projecto é de lançar mais livros sobre outros temas, como gramática, por exemplo”.

Foundation For Fogo (Fundação para o Fogo)

A Fundação para o Fogo ”Nu Odja” entregou recentemente na ilha do Fogo cerca de 30 pares de óculos à Câmara Municipal de São Filipe. A Fundação foi criada com a finalidade de acolher os serviços da Kriola Books, os programas “Nu Odja” e Kriolx.

Este serviço da Fundação para o Fogo vai permitir que qualquer pessoa de ascendência cabo-verdiana possa publicar gratuitamente o seu trabalho original. “As mulheres recebem 20 exemplares de suas publicações para promover o empreendedorismo, fornecendo acesso a recursos e preenchendo as lacunas”.

“A ideia é de criar um espaço na ilha do Fogo, que albergará todos os nossos serviços, com o programa que temos. Por exemplo, se algum quiser lançar o seu livro pode entregar a sua obra lá, ou se quiserem fazer uma marca de camisas vão ali na Fundação e apresentam as suas ideias e vamos ajudá-los com tudo”, frisa.

Destaney Andrade diz que neste momento dispõem de um programa e dois serviços. “O nosso primeiro serviço é Kriola Books, o segundo é Kriolx, onde o nosso foco é a mente e saúde, que neste momento funciona somente na rede social, pois ainda não temos um espaço fixo”.

Com o Kriolx a ideia é ter um espaço onde as pessoas possam falar dos seus problemas. “O nosso objectivo não é mudar as pessoas, mas sim mostrá-las diferentes formas de resolver os seus problemas, porque quando estive numa fase menos boa da minha vida, resolvi escrever e foi a minha melhor terapia, há pessoas que preferem escrever, outros pintam para tentar esquecer os problemas”.

“Temos o programa `Nu Odja`. Como na América sofri muito porque não conseguia ver sem óculos, depois que encontrei uma empresa que vende óculos a um bom preço, aproveitei para comprar vários óculos, porque sofri durante vários anos”, conta.

Quando vim para Cabo Verde vi que os óculos são mais caros do que nos Estados Unidos da América, então pensei: o que vou fazer para ajudar as pessoas na ilha do Fogo que precisam de óculos? Falei com uma senhora que trabalha na Câmara Municipal de São Filipe, para nos indicar as pessoas daquele concelho que estão a precisar de óculos. Ela deu-nos uma lista de pessoas que estão a precisar. Fomos para a América e compramos os óculos”.

T-shirts

Além disso, a jovem tem uma marca de t-shirts personalizadas `Laraxadu` que está à venda na loja CV Brands, na Cidade da Praia. Com o dinheiro da venda dessas t-shirts a jovem compra óculos para oferecer às pessoas que precisam.

“A Laraxadu existe para dar apoio à organização criativa à Fundação, onde 100% das nossas vendas vão directamente para as pessoas da ilha do Fogo”, explica. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1079 de 3 de Agosto de 2022. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,7 ago 2022 8:54

Editado porAntónio Monteiro  em  7 ago 2022 8:54

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.