(Re)nova(da) Agenda 2020+5 para o Movimento Olímpico

PorLeonardo Cunha,19 fev 2021 9:29

Esta semana o Comité Olímpico Internacional (COI) anunciou a aprovação em sede de sua comissão executiva, um novo roteiro estratégico chamado de Agenda Olímpica 2020+5. Esta agenda irá ser levada a aprovação na próxima sessão do COI a decorre de forma virtual de 10 a 12 de março de 2021. Esta apresenta 15 recomendações que orientarão o COI e o Movimento Olímpico para os próximos cinco anos (até 2025). As recomendações baseiam-se nas principais tendências identificadas pelo COI como suscetíveis de serem decisivas no mundo pós-pandemia.

Entre elas, a necessidade de uma maior solidariedade dentro e entre as sociedades, o crescimento da digitalização, a necessidade de alcançar um desenvolvimento sustentável, a procura crescente de credibilidade e a necessidade de construir resiliência face ao impacto económico da pandemia COVID-19. Como tal, as recomendações apelam ao COI e ao Movimento Olímpico para fortalecer a singularidade e universalidade dos Jogos Olímpicos, promover jogos sustentáveis, continuar a atrair os melhores atletas e fortalecer ainda mais o desporto seguro e a proteção dos atletas.

Outras recomendações exortam o COI a reforçar e a promover o caminho para os Jogos Olímpicos, a coordenar a harmonização do calendário desportivo, a reforçar o papel do desporto como um importante facilitador dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, a reforçar o apoio aos refugiados e populações afetados pelos deslocamentos e a alcançar além da comunidade olímpica. O debate contínuo em torno da Regra 50 e o direito dos atletas a protestarem nos Jogos é referenciado em termos vagos, com uma recomendação a apelar ao COI para que "reforce os direitos e responsabilidades dos atletas".

Algumas recomendações centram-se no mundo digital, que tem vindo a crescer em importância durante a pandemia, à medida que as Federações Internacionais realizam eventos virtuais. É recomendado aumentar o envolvimento digital com as pessoas, bem como incentivar o desenvolvimento de desportos virtuais e envolver-se ainda mais com as comunidades de E-Gamers. Por último, o COI deverá concentrar-se em tentar dar o exemplo na cidadania corporativa, no reforço do Movimento Olímpico pela boa governação e na inovação dos modelos de geração de receitas.

A Agenda Olímpica 2020+5 pretende basear-se nos resultados da Agenda Olímpica 2020, que foi aprovada em dezembro de 2014. A Comissão Executiva do COI finalizou o relatório de encerramento da Agenda Olímpica 2020, e descreve em pormenor cada uma das 40 recomendações feitas, as diferentes atividades realizadas para as implementar e o impacto que teve no COI e no Movimento Olímpico.

De acordo com o relatório, 88% das recomendações foram cumpridas. Será esta agenda 2020+5 irá em direção ao tão procurado reencontro com Pierre de Coubertin? Será que ela versa sobre a principal ameaça do Movimento Olímpico, que é a dos residentes dos países que recebem os Jogos Olímpicos encontrarem nestes um benefício para o seu país? Será que esta agenda vai ao fundo das questões relacionadas com os direitos humanos e os direitos dos atletas? Será que esta agenda contribui para que, mesmo garantindo a autonomia do Movimento Olímpico, se assegure a existência de mecanismos autorregulatórios e que promovam a transparência e boa governança?

Todos os que estão dentro do movimento olímpico tem de procurar ser uma resposta para estas questões, e que possam apoiar o COI na sua visão de criar um mundo melhor através do desporto.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Leonardo Cunha,19 fev 2021 9:29

Editado porAndre Amaral  em  20 fev 2021 10:29

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.