Processo de selagem de alambiques decorre normalmente - IGAE

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,26 jun 2018 8:37

​O inspector-geral das Actividades Económicas, Elisângelo Monteiro, afirmou hoje que o processo de selagem dos 360 alambiques “decorre normalmente” e que poderá estar concluído na terceira semana de Julho.

Elisângelo Monteiro integrou a equipa do ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, que na manhã de ontem efectuou uma visita ao município de Ribeira Grande de Santiago para se inteirar dos problemas ligados aos sectores sob sua tutela e acompanhar o processo de selagem dos alambiques já iniciado pela Inspecção-Geral das Actividades Económicas (IGAE)

Em declarações à imprensa, o inspector da IGAE informou que neste momento existem cerca de 360 alambiques a nível nacional, tendo afirmado que na próxima semana a selagem na Ilha de Santiago estará completa.

“Neste momento quantifica-se um total de 142 unidades seladas no total de 180 alambiques em Santiago. Em Santa Catarina iniciamos hoje portanto os restantes municípios já foram selados os alambiques”, disse, acrescentando que a normalidade no processo é sinal de que os operadores começaram a interiorizar a importância da selagem dos alambiques.

Conforme avançou, na próxima semana o processo de selagem será realizado em Santo Antão e nas restantes ilhas do país, adiantando, por outro lado, que se estima que existem cerca de 180 alambiques na ilha das montanhas.

Disse, por outro lado, que com o apoio das autoridades policiais e fiscalização municipal tem-se criado uma dinâmica nos últimos tempos e a IGAE conseguiu reforçar a fiscalização visando garantir o cumprimento da lei no que se refere à produção e à comercialização da aguardente.

“Em Cidade Velha, em particular, temos um benefício que o comandante actual trabalhou imenso a questão da fiscalização em parceria com a IGAE, o que tem facilitado na fiscalização”, disse.

Elisângelo Monteiro afiançou ainda que o controlo dos alambiques vai ser feito de forma “rigorosa”, através de uma rede de fiscalização para garantir e preservar a saúde pública.

“Vamos trabalhar agora o processo de controlo de produção fora de tempo de dia e de noite para que possamos fazer devidamente o processo de controlo e fazer valer a selagem e preservar a saúde pública, e evitar a introdução de produtos ilegais no mercado e com problemas de qualidade”, frisou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,26 jun 2018 8:37

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  27 jun 2018 6:20

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.