Cabo-verdianos continuam a não conseguir poupar dinheiro

PorAndre Amaral,7 nov 2018 10:07

Cabo-verdianos continuam a não querer comprar casa nem carro ou, sequer, poupar dinheiro, diz o inquérito de Conjuntura no Consumidor publicado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística. Confiança dos consumidores deu sinais de quebra no terceiro trimestre deste ano mas, ainda assim, está a um nível superior do que o registado no mesmo período do ano passado.

Segundo o INE, os resultados referentes ao 3º trimestre 2018 demonstram que "o indicador de confiança no consumidor inverteu a tendência ascendente dos últimos trimestres, revelando um abrandamento da confiança das famílias cabo- verdianas. Apesar deste indicador se situar abaixo da média da série, observa-se uma evolução positiva comparativamente ao trimestre homólogo". 

"Este resultado explica-se basicamente pela apreciação da situação económica actual do país e o desemprego relativamente ao trimestre homólogo", acrescenta o INE.

O inquérito realizado pelo INE mostra também que no 3º trimestre deste ano, constatou-se que "tanto a situação económica das famílias como a do país evoluíram negativamente face ao trimestre homólogo. Ainda, de acordo com a opinião dos inquiridos, tanto os preços de bens e serviços como o desemprego no país aumentaram face ao trimestre homólogo".

78,0% das famílias inquiridas pelo INE disseram que "a actual situação económica do país não permite poupar dinheiro". No mesmo período do ano passado, "a percentagem observada para esse item era de 79,3%. De realçar que 12,0% dos inquiridos afirmaram ser possível poupar algum dinheiro com a actual situação económica do país (no trimestre homólogo era de 14,6%)".

Para o Instituto Nacional de Estatística, os resultados do inquérito mostram igualmente que "a situação financeira das famílias deverá evoluir negativamente face ao trimestre homólogo", no entanto, realça igualmente que "a situação económica deverá manter no mesmo nível relativamente ao mesmo período do ano 2017. Para as famílias inquiridas, os preços de bens e serviços deverão aumentar enquanto, o desemprego deverá diminuir face ao trimestre homólogo".

Quanto à intenção de comprar carro comprar ou ainda de construir casa, as respostas são claras: 91,9% das famílias inquiridas disseram que não têm intenção de comprar carro e 68,5% disseram que não vão comprar ou construir casa. No entanto, relativamente a esta última questão, há a destacar que no 3º trimestre do ano passado a percentagem de famílias que não iria comprar casa era de 94%.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,7 nov 2018 10:07

Editado porAndre Amaral  em  8 nov 2018 16:06

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.