​CEDEAO apoia candidatura do Gana para sede da zona de livre comércio

PorExpresso das Ilhas, Lusa,2 jul 2019 11:15

A CEDEAO vai apoiar a candidatura do Gana para sede da zona de livre comércio em África, segundo decisão da 55.ª conferência de chefes de Estado e de Governo da organização hoje divulgada.

No comunicado final da reunião, que decorreu no sábado, em Abuja, na Nigéria, a Comunidade Económica de Países da África Ocidental (CEDEAO) "endossou a candidatura do Gana para acolher a sede do secretariado da Zona de Comércio Livre Continental" e pediu o apoio de todos os países-membros da organização para esta proposta.

O Acordo de Livre-Comércio Continental Africano (AfCFTA, na sigla em inglês), que pretende criar uma zona de comércio livre nos 55 países da União Africana, entrou em vigor em 30 de maio, depois de ter sido ratificado inicialmente por 24 países.

O acordo de livre-comércio pretende estabelecer um enquadramento para a liberalização de serviços de mercadorias e tem como objetivo eliminar as tarifas aduaneiras em 90% dos produtos.

O AfCFTA permitirá criar o maior mercado do mundo com um Produto Interno Bruto (PIB) acumulado a ascender a 2,5 biliões (milhões de milhões) de dólares.

O AfCFTA, que visa criar, em várias fases, um mercado único de produtos e serviços entra em vigor oficialmente a 07 de Julho - durante a cimeira da União Africana em Niamey, no Níger - nos países que o ratificaram.

O acordo não foi assinado pela Nigéria (a maior economia do continente), Benim e Eritreia, mas entre os países que o ratificaram contam-se potências comerciais como a África do Sul, Quénia ou Egipto.

Entre os países lusófonos, o acordo foi apenas ratificado por São Tomé e Príncipe.

A CEDEAO é composta por 15 países, incluindo os lusófonos Cabo Verde e Guiné-Bissau.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,2 jul 2019 11:15

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  16 out 2019 23:21

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.