Recuperação do turismo acelera a nível mundial com diminuição das restrições

PorExpresso das Ilhas,21 jun 2022 9:41

O sector turístico mundial continua a recuperar a um ritmo forte. A nível mundial, os destinos acolheram quase três vezes mais chegadas internacionais no primeiro trimestre de 2022 do que no mesmo período de 2021, com a Europa a liderar a recuperação do sector. Os números são da Organização Mundial do Turismo (OMT).

De acordo com o último Barómetro Mundial do Turismo da OMT, o turismo internacional registou um aumento anual de 182% entre Janeiro e Março de 2022, tendo os destinos mundiais acolhido cerca de 117 milhões de chegadas internacionais em comparação com 41 milhões no primeiro trimestre de 2021. Dos 76 milhões adicionais de chegadas internacionais nos primeiros três meses, cerca de 47 milhões foram registados em Março.

A Europa e as Américas lideram a recuperação

Segundo dados da OMT durante o primeiro trimestre de 2022, a Europa acolheu quase quatro vezes mais chegadas internacionais (+280%) do que no primeiro trimestre de 2021, com resultados impulsionados por uma forte procura intra-regional. Nas Américas, as chegadas mais do que duplicaram (+117%) nos mesmos três meses. No entanto, as chegadas à Europa e às Américas ainda se situavam 43% e 46% abaixo dos níveis de 2019, respectivamente.

O Médio Oriente (+132%) e a África (+96%) também registaram um forte crescimento no primeiro trimestre de 2022 em comparação com 2021, mas as chegadas permaneceram 59% e 61% abaixo dos níveis de 2019, respectivamente. A Ásia e o Pacífico registaram um aumento de 64% em relação a 2021, mas mais uma vez, os níveis foram 93% abaixo dos números de 2019, dado que vários destinos permaneceram fechados.

Por sub-região, as Caraíbas e o Sul da Europa mediterrânica continuam a apresentar as taxas de recuperação mais rápidas. Em ambos, as chegadas recuperaram para quase 75% dos níveis de 2019, com alguns destinos a atingirem ou a excederem os níveis pré-pandémicos.

Destinos que se abrem

No relatório elaborado pela OMT pode ler-se que embora o turismo internacional se mantenha 61% abaixo dos níveis de 2019, “espera-se que a recuperação gradual continue durante todo o ano de 2022, à medida que mais destinos se tornam mais fáceis ou se levantam restrições de viagem”. Em 2 de Junho, prossegue a OMT, 45 destinos (dos quais 31 estão na Europa) “não tinham restrições relacionadas com a COVID-19. Na Ásia, um número crescente de destinos começou a aliviar essas restrições”.

Ainda assim e apesar destas perspectivas positivas, “um ambiente económico desafiante associado à ofensiva militar da Federação Russa na Ucrânia representa um risco negativo para a recuperação em curso do turismo internacional”, aponta a Organização Mundial do Turismo. “A ofensiva russa na Ucrânia parece ter tido até agora um impacto directo limitado nos resultados globais, embora esteja a perturbar as viagens na Europa Oriental. No entanto, o conflito está a ter grandes repercussões económicas a nível global, exacerbando os já elevados preços do petróleo e a inflação global e perturbando as cadeias de abastecimento internacionais, o que resulta em custos de transporte e alojamento mais elevados para o sector do turismo”, acrescenta o relatório.

A última edição do Barómetro do Turismo da OMT mostra também que se “perderam 1 trilião de dólares em receitas de exportação do turismo internacional em 2021, somando-se ao trilião de dólares perdidos no primeiro ano da pandemia”.

As receitas totais de exportação do turismo (incluindo as receitas do transporte de passageiros), refere o relatório da OMT, “atingiram um valor estimado de 713 mil milhões de dólares em 2021, um aumento de 4% em termos reais a partir de 2020, mas ainda 61% abaixo dos níveis de 2019. As receitas do turismo internacional atingiram 602 mil milhões de dólares, também 4% mais elevadas em termos reais do que em 2020. A Europa e o Médio Oriente registaram os melhores resultados, com as receitas a subirem para cerca de 50% dos níveis pré-pandémicos em ambas as regiões”.

Uma recuperação mais forte do que o esperado

O mais recente Índice de Confiança da OMT mostrou uma subida acentuada.

“Pela primeira vez desde o início da pandemia, o índice regressou aos níveis de 2019, reflectindo um optimismo crescente entre os especialistas em turismo de todo o mundo, com base numa forte procura reprimida, em particular viagens intra-europeias e viagens dos EUA para a Europa”, aponta o documento.

De acordo com o último inquérito do Painel de Peritos da Organização Mundial de Turismo, “uma esmagadora maioria dos profissionais do turismo (83%) vê melhores perspectivas para 2022 em comparação com 2021, desde que o vírus seja contido e os destinos continuem a aliviar ou a levantar as restrições às viagens”.

No entanto, referem, “o encerramento em curso de alguns grandes mercados emissores, principalmente na Ásia e no Pacífico, bem como a incerteza derivada do conflito Rússia-Ucrânia, poderiam atrasar a recuperação efectiva do turismo internacional”.

O documento conclui dizendo que “um número mais elevado de peritos (48%) vê agora um potencial regresso das chegadas internacionais aos níveis de 2019 em 2023 (de 32% no inquérito de Janeiro), enquanto a percentagem que indica que tal poderá acontecer em 2024 ou mais tarde (44%) diminuiu em comparação com o inquérito de Janeiro (64%)”. Entretanto, no final de Abril, a capacidade aérea internacional nas Américas, África, Europa, Atlântico Norte e Médio Oriente atingiu ou está perto de 80% dos níveis pré-crise e a procura está a seguir-se.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,21 jun 2022 9:41

Editado porAndre Amaral  em  21 jun 2022 15:15

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.