Hoje é dia de Expresso das Ilhas. Destaques da Edição 810

PorAntónio Monteiro,7 jun 2017 1:09

1

Nesta edição, o Expresso das Ilhas faz manchete com a cada vez mais próxima entrada de Marrocos na CEDEAO. Aquele país do norte de África viu confirmado o seu pedido de adesão à comunidade da África Ocidental e tem uma estratégia por trás: a expansão económica para a África subsaariana. Para isso, contam com uma nova geração bem formada, indústria, parceiros europeus e fundos governamentais. Cabo Verde tinha como objectivo estratégico a exportação de conhecimentos e serviços na área das renováveis para a África Ocidental, mas pode ver-se ultrapassado pelo país do norte do continente.

 

Também neste número a entrevista com o Secretário-Geral do Parlamento da CEDEAO, Nelson O. Magbagbeola. Há vinte anos que Cabo Verde pertence à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), mas o desconhecimento sobre o seu funcionamento, iniciativas e oportunidades ainda é vincado. Em entrevista ao Expresso das ilhas, o Secretário-Geral do Parlamento da CEDEAO, Nelson Magbagbeola, fala-nos sobre esses tópicos, apontando ainda as dificuldades enfrentadas pela comunidade e outros temas que ajudam a fazer o ponto da situação da Comunidade. A fraca presença de Cabo Verde junto aos órgãos da CEDEAO, visível nomeadamente pela falta de um embaixador acreditado, é também notada, e deve “ser resolvida”.

Destaque também para 40 anos depois das prisões e torturas em S. Vicente. UCID vai levar ao Parlamento projecto de lei para indeminização das vítimas de 1977. Decorridos 40 anos, António Monteiro diz que já é altura de o Estado de Cabo Verde fazer justiça às vítimas de prisão e tortura na sequência dos acontecimentos de Junho de 1977 em São Vicente e de 31 de Agosto de 1981, em Santo Antão. O presidente da UCID anuncia que o seu partido vai apresentar ao Parlamento um projecto de lei visando a reposição da verdade e uma reparação condigna às vítimas dos graves atropelos do Estado nos dois casos.  

Ainda a economia. O Banco de Cabo Verde anunciou a descida generalizada de todas as taxas de referência. A decisão foi anunciada na segunda-feira em conferência de imprensa e entrou ontem em vigor. João Serra, Governador do Banco de Cabo Verde, espera que bancos comerciais sigam a indicação dada pelo banco central. Banca e privados vêem esta medida com bons olhos mas querem esperar para ver.

Na reportagem desta semana o destaque vai para as hortas urbanas, um fenómeno das grandes metrópoles mundiais mas quase inexpressivo em Cabo Verde. No entanto, os primeiros passos já foram dados e na capital já existe uma destas hortas e a FAO e o Ministério da Agricultura e Ambiente querem ver as cidades do país a investir na agricultura urbana e periurbana e para isso levaram a cabo um projecto que, para já, fez nascer 17 hortas na Cidade da Praia.

Destaque ainda para o Festival de Literatura Mundo do Sal 2017 onde se faz uma vénia a Corsino Fortes e José Saramago. O evento promete colocar Cabo Verde nas bocas do mundo e além da referida homenagem a dois dos maiores escritores da lusofonia o destaque vai para o lançamento e apresentação do primeiro romance do poeta e Presidente da República Jorge Carlos Fonseca.

No interior, a opinião de Carlos Burgo, “As lições do Novo Banco”; de José Almada Dias, “Identidade crioula: Crioulos não independentes, liberdade, vistos e patriotismos utópicos (II)”; de Júlio Lopes, “A sustentabilidade como elemento central na competitividade dos destinos dos pequenos países insulares – como é o caso de Cabo Verde”; de Teresa Temudo com a crónica "Um domingo em Santo Antão" e de Ângela Benoliel Coutinho que escreve sobre “Descendentes de Judeus em Cabo Verde no século XX colonial”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:António Monteiro,7 jun 2017 1:09

Editado porAndré Amaral  em  7 jun 2017 23:35

1

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site