Edição 1036

PorExpresso das Ilhas,6 out 2021 0:01

A manchete desta semana vai para o Orçamento de Estado que, em breve, será levado à Assembleia Nacional.

A incerteza é ainda grande, avisou o ministro das Finanças durante a apresentação do Orçamento de Estado para o próximo ano (OE2022). A pandemia provocou perdas de 20 milhões de contos por ano, 60 milhões de contos no total, mas para 2022 as projecções apontam para o crescimento da economia. No global, o OE2022 terá 73 milhões de contos e quatro prioridades: resposta sanitária, recuperação da economia, inclusão social e sustentabilidade orçamental.

Também em destaque nesta edição do Expresso das Ilhas está a entrevista com Aquilino Varela, Director do gabinete do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia.

Cabo Verde tem neste momento perto de 16 mil alunos a estudarem em instituições do ensino superior tanto nacionais como estrangeiras, mas as bolsas de estudo disponibilizadas pelo governo cobrem apenas 39% dos alunos. 60% ficam de fora. “Então é preciso debater e saber como criar um fundo, ou onde encontrar recursos para garantir a sustentabilidade da formação superior em Cabo Verde”, defende Aquilino Varela que avançou que dentro em breve um estudo sobre a nova modalidade de financiamento do ensino superior vai ser socializado.

Com a campanha para as presidenciais a meio do caminho fazemos um balanço dos primeiros dias e apresentamos as ideias dos candidatos. A campanha vai decorrer até dia 15 e às eleições concorrem sete candidatos.

Falamos também de uma área de trabalho em que Cabo Verde tem carência de profissionais: os médicos veterinários. É cada vez mais reconhecida, a nível mundial, a sua importância na saúde pública, em todas as suas vertentes. Contudo, em Cabo Verde, a imensa abrangência da sua actuação ocorre fora dos holofotes, e é pouco perceptível para o público geral. São também ainda poucos os que, por vários motivos, seguem esta profissão, da qual há carência no país e que está em ascensão em todo o lado. Falamos dos médicos veterinários. Esses que curam a humanidade.

Onde há fumo, há negócio. A venda de shisha, o nome mais internacional para os cachimbos de água, está a crescer em Cabo Verde.

Enquanto a Sociedade Cabo-verdiana dos Tabacos (STC) estuda a composição do narguilé, popularmente conhecido como shisha, um mercado legal do seu consumo cresce a olhos vistos. O Expresso das Ilhas falou com pessoas do meio e conta, nesta reportagem, como funciona.

A ler igualmente a opinião de Fátima Monteiro com ‘Elites, Recursos Intangíveis, Valorização Estratégica e Desenvolvimento’ e de António Ludgero com ‘Do preço do gás butano: o regresso à lenha e o incremento do furto de energia’.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,6 out 2021 0:01

Editado porAndre Amaral  em  6 out 2021 14:57

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.