Parceiro português do Cabo Verde Digital quer "centro tecnológico com mil programadores"

PorExpresso das Ilhas, Lusa,9 nov 2019 8:15

​O co-fundador da 'startup' portuguesa de formação Academia de Código, parceira do projeto Cabo Verde Digital, quer transformar a capital num "centro tecnológico com mil programadores" nos próximos cinco anos.

À Lusa, Diogo Folque Guimarães explicou que a Academia de Código vai iniciar actividades no arquipélago lusófono em 2020, numa iniciativa que se segue à expansão para a Holanda, em Setembro.

"No fundo, o grande objectivo é transformar a cidade da Praia numa 'tech hub', um centro tecnológico com mais de mil programadores nos próximos cinco anos e é isso que nós vamos realizar junto com o Governo de Cabo Verde", afirmou o responsável da 'startup'.

De acordo com o co-fundador, o objectivo desta empresa fundada em 2015 passa por identificar o "talento desperdiçado, que está neste momento no desemprego, e transformá-lo em programadores".

Diogo Folque Guimarães acrescentou que a parceria entre a Academia de Código e o Governo cabo-verdiano "nasce de uma grande vontade de Cabo Verde neste processo de digitalizar-se e apostar em talento".

"Hoje em dia, em Portugal, já criámos mais de mil programadores que estão a trabalhar em mais de 100 empresas", apontou o empreendedor, que se mostra esperançoso em replicar este sucesso.

"Podemos acreditar que é possível fazer noutros lugares", defendeu, considerando que "existe talento para que isso possa acontecer".

A juventude cabo-verdiana, as condições de segurança e a língua são algumas das razões enumeradas pelo empreendedor português para a aposta em Cabo Verde.

"Cabo Verde pode começar claramente a exportar tecnologia. Isso é algo de que nós gostaríamos de fazer parte. Queremos fazer parte e já estamos a fazer parte, de certa forma, ao pertencermos ao projecto Cabo Verde Digital", adiantou Diogo Folque Guimarães.

"A língua claramente facilita a nossa chegada a Cabo Verde, apesar da programação ser feita essencialmente em inglês", declarou, garantindo que a "Academia de Código vai chegar com uma língua diferente, que é a língua do código, mas vai unir Cabo Verde e Portugal, não só com a língua portuguesa, mas também com a língua do código".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,9 nov 2019 8:15

Editado pormaria Fortes  em  10 nov 2019 13:33

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.