Subida do nível do mar está a matar árvores e a criar “florestas fantasma” visíveis do Espaço

PorExpresso das Ilhas,17 abr 2021 10:18

A subida do nível do mar é prova de que as alterações climáticas estão a mudar as paisagens ao longo da costa.

Como todos os organismos vivos, as árvores morrem. Mas o que está a acontecer não é normal. Grandes campos de árvores, relata o zap.aeiou.pt, estão a morrer simultaneamente e os rebentos não estão a crescer para tomar o seu lugar.

Nos Estados Unidos,a água do mar está a aumentaros níveis de sal nas florestas ao longo de toda a planície costeira do Atlântico, do Maine à Florida. Enormes faixas de floresta contígua estão a morrer, agora são conhecidas na comunidade científica como“florestas fantasma”.

O papel insidioso do sal

Segundo a mesma fonte, o aumento do nível do mar causado pelas alterações climáticas está a tornar os pântanos mais húmidos em muitas partes do mundo.Mas também os torna mais salgados.

Em 2016, a investigadoraEmily Urycomeçou a trabalhar num pântano arborizado da Carolina do Norte para estudar o efeito do sal nas suas plantas e solos. A cada dois meses, carrega mais de 45 quilos de sal e outros equipamentos ao longo do trilho inundado até ao seu local de pesquisa. Ury e a sua equipa estão a salgar uma área do tamanho de umcampo de ténis, procurando imitar os efeitos da subida do nível do mar.

Após dois anos de esforço, o sal não parecia estar a afectar as plantas ou os processos do solo que estavam a monitorizar. Então a investigadora percebeu que, em vez de esperar que o sal matasse lentamente as árvores, a pergunta que precisava de responder eraquantas árvores já tinham morrido e quantas mais áreas húmidas eram vulneráveis.Para encontrar respostas, foi a locais onde as árvores já estavam mortas.

Árvores mortas com troncos claros, desprovidos de folhas e galhos, são um sinal revelador de altos níveis de sal no solo. Um relatório de 2019 baptizou-os de “lápides de madeira”.

À medida que as árvores morrem, arbustos e ervas mais tolerantes ao sal ocupam o seu lugar. Num estudopublicadoeste mês na revistaEcological Applications, a equipa de investigadores mostra que na Carolina do Norteessa mudança foi dramática.

A região costeira do estado sofreu uma perda rápida e generalizada de floresta, com impactos em cascata sobre a vida selvagem, incluindo o lobo-vermelho e o pica-pau de crista vermelha, ambos ameaçados de extinção. As florestas húmidas sequestram e armazenam grandes quantidades de carbono, portanto, a morte das florestas também contribui para mais alterações climáticas. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1011 de 14 de Abril de 2021. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,17 abr 2021 10:18

Editado porSheilla Ribeiro  em  19 abr 2021 9:50

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.