Partido Comunista Chinês alerta para riscos da inteligência artificial

PorExpresso das Ilhas, Lusa,31 mai 2023 9:51

O Partido Comunista Chinês (PCC) alertou hoje para os riscos inerentes aos avanços na inteligência artificial (IA) e pediu um reforço das medidas de segurança nacional.

Durante uma reunião com altos quadros do Partido, o secretário-geral, Xi Jinping, pediu "esforços dedicados para salvaguardar a segurança política e melhorar a governação da segurança dos dados da Internet e da inteligência artificial", de acordo com um despacho difundido pela agência noticiosa oficial Xinhua.

Xi, que é também o chefe de Estado da China, o comandante das Forças Armadas e o líder da Comissão de Segurança Nacional do PCC, pediu às autoridades chinesas que se "mantenham profundamente cientes das complexas circunstâncias e dos desafios que a segurança nacional enfrenta".

A China precisa de um "novo padrão de desenvolvimento, com uma nova arquitectura de segurança", afirmou Xi, citado pela Xinhua.

As declarações do líder chinês surgem um dia depois de um alerta feito por cientistas e líderes da indústria tecnológica nos EUA, incluindo executivos da Microsoft e Google, sobre os perigos que a inteligência artificial representa para a humanidade.

"Mitigar o risco de extinção pela IA deve ser uma prioridade global, em conjunto com outros riscos, como pandemias e guerra nuclear", afirmou o comunicado.

A China dedica vastos recursos para suprimir quaisquer ameaças ao domínio absoluto do PCC. Os gastos com a polícia e outras forças de segurança superam mesmo o orçamento da Defesa, segundo diferentes estimativas.

Apesar da censura e da supressão implacável de protestos, os cidadãos chineses continuam a expressar insatisfação com algumas políticas de Pequim. No final do ano passado, o país foi palco de vários protestos contra a política de 'zero casos' de covid-19, que incluiu o bloqueio de cidades durante semanas ou meses.

O Governo chinês lançou também uma campanha regulatória, visando reafirmar o controlo político sobre o sector tecnológico, mas, como outros países, está a ter dificuldades em encontrar formas de regular novas tecnologias em rápido desenvolvimento.

A reunião do PCC enfatizou a necessidade de "avaliar riscos potenciais, tomar precauções, salvaguardar os interesses do povo e a segurança nacional e garantir a segurança, fiabilidade e capacidade de controlo da IA", noticiou o jornal oficial Beijing Youth Daily.

As preocupações suscitadas pela perda de controlo sobre sistemas de inteligência artificial intensificaram-se com o surgir de uma nova geração de programas projectados para simular conversas humanas, como o ChatGPT.

Sam Altman, director executivo da OpenAI, que desenvolveu o ChatGPT, e Geoffrey Hinton, um cientista da computação conhecido como o padrinho da inteligência artificial, estão entre as centenas de figuras importantes que assinaram a declaração emitida na terça-feira.

A China alertou já em 2018 sobre a necessidade de regular a IA, mas mesmo assim financiou uma vasta expansão do setor como parte dos esforços para desenvolver as indústrias do futuro.

A falta de protecção da privacidade e o controlo do Partido sobre o sistema jurídico também resultaram no uso quase generalizado de tecnologia de reconhecimento facial ou de voz para identificar e deter indivíduos considerados como uma ameaça, incluindo dissidentes políticos e membros de minorias étnicas, especialmente muçulmanos.

Os uigures e outros grupos étnicos de origem muçulmana foram submetidos a controlo digital em massa e mais de 1 milhão de pessoas foram detidas em campos de reeducação política semelhantes a prisões, que a China designa como centros de desradicalização e treino profissional.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,31 mai 2023 9:51

Editado porSara Almeida  em  31 mai 2023 9:51

pub.

pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.