A Terra está a ficar sem hélio. A solução pode estar a 380 mil quilómetros

PorExpresso das Ilhas,30 mar 2024 7:58

A Lua surgiu como um potencial tesouro para um dos recursos mais raros e procurados: o hélio-3.

Os recursos da Terra estão a diminuir e a corrida para assegurar elementos vitais para o avanço tecnológico levou a humanidade a olhar para os céus.

Recentemente, conta o site zap.aeiou.pt, a empresa norte-americana Interlune anunciou um ambicioso plano para extrair hélio-3 da superfície lunar e transportá-lo para a Terra.

O hélio-3 é um isótopo do hélio com propriedades únicas que o tornam um componente crítico na computação quântica, nas tecnologias de imagiologia médica, na investigação da energia de fusão e em várias aplicações de segurança nacional.

A escassez de hélio-3 na Terra levou os cientistas e as indústrias a procurar fontes alternativas, e a Lua apresenta uma solução promissora.

Com um investimento de 18 milhões de dólares, a Interlune pretende liderar este empreendimento extraterrestre, detalha a Popular Mechanics.

Rob Meyerson, fundador da Interlune e antigo presidente da Blue Origin, defende a viabilidade da extracção e processamento dos recursos lunares com a tecnologia e os modelos económicos actuais.

Esta iniciativa arrojada não só visa aliviar a escassez de hélio na Terra, como também marca o início de uma economia espacial mais alargada, que poderá incluir a extracção de metais industriais, elementos de terras raras e até mesmo água para apoiar a habitação lunar a longo prazo.

A abordagem da Interlune à exploração mineira lunar envolve tecnologias próprias para escavar e processar o solo lunar para extrair hélio-3 de forma eficiente.

A empresa afirma que a sua máquina de extracção lunar foi concebida para ser mais pequena, mais leve e com menor consumo de energia do que os conceitos existentes, reduzindo assim os custos de transporte e as complexidades operacionais na superfície lunar.

O objectivo imediato é concluir a concepção de uma missão de aterragem robótica para avaliar a concentração de recursos da Lua, com uma missão de demonstração planeada para 2026, em colaboração com uma missão da NASA Commercial Lunar Services Provider.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1165 de 27 de Março de 2024. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,30 mar 2024 7:58

Editado porSara Almeida  em  19 abr 2024 20:20

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.