Meraki. Um centro lúdico pedagógico com aposta no método Montessori

PorExpresso das Ilhas,16 jan 2019 16:53

Joseanne Silva e Cristina Vera-Cruz
Joseanne Silva e Cristina Vera-Cruz(Meraki)

Um espaço para as crianças brincarem e aprenderem de forma segura e criativa. É a proposta do centro educacional Meraki, a ser inaugurado neste sábado, 19, na cidade da Praia.

Meraki é uma palavra grega que significa fazer algo com alma, criatividade e amor. Ou, colocar parte de sí em algo que está a fazer. A explicação é dada pelos mentores deste projecto que nasce com o slogan “experiências de amor”.

Nasce do sonho de uma mãe, Joseanne Silva, que um dia pensou transformar a frustração pela escassez de ofertas diferenciadas de actividades de ocupação de tempos livres para crianças em acção. Da partilha da ideia com a amiga Cristina Vera-Cruz nasceu o projecto, há dois anos. Hoje preparam o arranque das actividades do centro Mareki, situado na zona de Tira-Chapéu. 

“Acredito que será uma mais-valia para pais e encarregados de educação da cidade da Praia e arredores. A nossa proposta é que o centro seja inteiramente dedicado à ocupação do tempo livre de crianças e adolescentes. Um espaço seguro, estimulador e divertido onde o lúdico e o pedagógico se fundem dando lugar a experiências de desenvolvimento fantásticas”, diz Joseanne Silva.

Para implementação do projecto as duas sócias estudaram muito sobre pedagogia, avança, e optaram por abraçar o método educativo conhecido como Método Montesorri. Criado pela psiquiatra, pedagoga, filósofa, pesquisadora e educadora italiana Maria Montesorri, este método com seguidores em todo o mundo defende que o centro da aprendizagem é a própria criança que, “com sua curiosidade natural, explora e dá ainda mais vazão à sua necessidade de aprender, se tiver à sua disposição um ambiente adequado, variado e estimulante”. A liberdade de escolha e a criatividade são componentes importantes deste método.

Quanto à Meraki, o espaço físico já está preparado para receber crianças dos 2 aos 16 anos e nele inclui-se uma brinquedoteca, uma área de brinquedos insufláveis, piscina de bolas, matraquilhos e outros jogos, um estúdio de dança para aulas como yoga para crianças, aulas de teatro, ballet, hip hop e outros, salas para oficinas e workshops e uma lanchonete.

Meraki
Meraki

A segurança do espaço não foi pensada apenas em termos de mobiliário e materiais usados e acompanhamento por parte de uma equipa de monitores com formação na área. Haverá também vídeo vigilância para garantir maior tranquilidade aos pais e encarregados de educação.

A oferta de actividades - de Terça a Domingo -  faz-se de três formas: o espaço de brincadeiras livres, as aulas permanentes e as oficinas de curta duração (periódicas). Para estas duas últimas componentes torna-se necessária a inscrição prévia.

Nesta primeira fase o projecto aposta numa oferta que quebre a tendência actual das crianças ocuparem os seus tempos livre à frente de um ecrã (televisão, computador ou tablet). Mas sabendo da importância que hoje, desde cedo, assume o ensino das TICs, o projecto prevê para uma segunda fase a oferta de actividades lúdicas e pedagógicas nessa área, como jogos de realidade virtual, oficinas de programação e de robótica.

Para além das duas criadoras, da equipe fixa do projecto fazem parte nesta fase um gestor do centro e sete monitores. Professores e formadores para as diferentes aulas e oficinas serão recrutados para prestação de serviço conforme as necessidades.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,16 jan 2019 16:53

Editado porChissana Magalhães  em  17 jan 2019 12:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.