Clitóris não serve apenas para dar prazer à mulher - Estudo

PorExpresso das Ilhas,13 nov 2019 16:34

Um cientista americano da Universidade de Sheffield publicou um estudo em que desmitifica que o único propósito do órgão genital feminino é dar prazer a mulher durante o acto sexual.

Roy J. Levin afirma ter descoberto a função do órgão que aparentemente só serve para dar prazer a mulher, no estudo “The Clitoris – An Appraisal of its Reproductive Function During the Fertile Years: Why Was It, and Still Is, Overlooked in Accounts of Female Sexual Arousal”, publicado a 5 de Novembro.

Segundo o cientista, citado pela MAGG , este órgão sexual tem uma função reprodutiva importante porque, quando estimulado, activa o cérebro para fazer uma série de alterações no corpo feminino, preparando-o para receber o sémen que irá fecundar o óvulo.

Aumento do fluxo sanguíneo vaginal, aumento da lubrificação e oxigenação vaginal e alteração da posição do colo do útero são as alterações físicas provocadas pela estimulação do clitóris. E são alterações de extrema importância para haja uma fecundação com maior taxa de sucesso.

Assim, o cientista afirma que o clitóris pode ter tanto uma função reprodutiva, quanto uma função prazerosa.

“O clitóris tem ambas as funções, tanto a reprodutiva como a de prazer, e ambas são de igual importância”. Segundo Roy J. Levin, a clitoridectomia — remoção do clitóris através de uma intervenção cirúrgica — não gera apenas incapacidade sexual como também reprodutora.

Essa conclusão científica vem derrubar muitos dos mitos que rodeia a cruel tradição da excisão feminina. 

MGF

A mutilação genital feminina (MGF) é uma realidade para cerca de 200 milhões de meninas e mulheres que vivem hoje, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Esta prática está centrada, principalmente, em 30 países africanos e no Oriente Médio, mas, ocorre em alguns lugares da Ásia e da América Latina.

Para marcar sua campanha permanente contra essa prática, a ONU definiu em 6 de Fevereiro deste ano, o Dia Internacional da Tolerância Zero para a Mutilação Genital Feminina.

A maioria das razões apontadas para a MGF passa por aceitação social, religião, desinformação sobre higiene, um modo de preservar a virgindade, tornando a mulher "casável" e ampliando o prazer masculino. Em algumas culturas é considerada um rito de passagem à vida adulta e um pré-requisito para o casamento.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,13 nov 2019 16:34

Editado porSara Almeida  em  13 nov 2019 16:35

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.