SOLIDARESAD, a pensar nos “mais necessitados”

PorSheilla Ribeiro,21 jan 2020 11:37

Os alunos da turma do 11º Humanística 1 (H1) da Escola Secundária Abílio Duarte (ESAD), em Palmarejo, entregaram hoje, donativos arrecadados ao longo de três meses, no âmbito da campanha (Solidariedade ESAD) a maternidade do Hospital Agostinho Neto.

A ideia, segundo a representante da turma, Joyce Duarte, partiu de uma professora, no início do ano lectivo, entretanto, só agora a turma resolveu colocar em prática a ideia de ajudar “aqueles que mais precisam”.

“Temos um grupo no Messenger com os integrantes da turma e resolvemos criar uma pequena equipa para fazer actos solidários há algumas instituições”, narra.

Instituições que de alguma forma lidam com crianças, é a prioridade da turma. Mais, tarde, conforme Joyce Duarte, o grupo pode avançar com pessoas portadoras de deficiência, ou até mesmo idosos.

Cada trimestre deste ano lectivo a turma irá realizar doações a instituições diferentes. No primeiro trimestre as doações destinam-se a maternidade, o segundo à pediatria e no último trimestre vai ser para o Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA).

“A maternidade foi a nossa primeira escolha porque para além de priorizar os bebés, actualmente há muitas mães sem condições. Muitos falam “se sabe que não tem condições porquê ter um filho?” Mas nós não pensamos desta forma”, posiciona-se.

A partir do grupo no Messenger, a turma concebeu uma espécie de publicidade e partilharam entre si e outros colegas, ainda que não da mesma turma. A partir de então, passaram a receber mensagens de pessoas que se dizem dispostas a ajudar.

“Cada vez que recebemos algo, o aluno que receber guarda na sua própria casa, depois vamos juntar tudo e distribuir. A ideia era entregar antes do Natal, mas, quisemos angariar mais coisas”, fala.

Fraldas, roupas de bebés, e dinheiro são alguns dos bens entregues ao Hospital.

“Entregamos ao director do HAN os bens e quando surgirem casos de mães que precisam desses bens serão entregues pelo hospital”, diz.

A escola, fizeram saber os alunos, ajudou na elaboração de cartas para serem distribuídas às empresas como forma de pedir apoio. Por outro lado, os pais apoiaram, falando com os seus amigos e colegas, pedindo colaboração.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,21 jan 2020 11:37

Editado porSara Almeida  em  21 jan 2020 11:37

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.