Jovem lecciona matemática no Youtube para driblar o desemprego

PorSheilla Ribeiro,20 mai 2020 15:16

Desempregado há cerca de um ano, o professor de matemática Wilson Mendes criou um canal no Youtube de forma a manter-se activo e desempenhar a sua função como professor. As aulas online abrangem conteúdos do 9º aos 12.º anos de escolaridade.

Há 5 meses, Wilson Mendes tem vindo a publicar vídeo-aulas de matemática no Youtube, que inicialmente, se destinavam apenas aos alunos do 12º ano que tinham dificuldades em compreender a disciplina.

“No meu longo percurso de licenciatura constatei que as vídeo-aulas são super importantes, porque o aluno é o foco e tem a possibilidade de,  caso não entenda, voltar atrás e ver os melhores vídeos, e escolher aquele que achar melhor, os diferentes tipos de professores e as suas explicações”, confidenciou ao Expresso das Ilhas.

Isto porque, revelou Wilson Mendes, quando ainda era universitário também ele recorria ao Youtube para compreender melhor uma matéria.

Antes do estado de emergência, o canal era dirigido apenas aos alunos do 12º ano por “serem mais maduros” e terem “mais domínio” desse canal, o youtube. Mas, com o confinamento, o professor disse constatar que os alunos de todas as classes precisam de vídeo-aulas e por isso começou a gravar aulas para alunos do 9º ano.

Em média, cada vídeo-aula tem cerca de 30 minutos. Há vídeos com mais de 300 visualizações e outros com menos de 50, ainda assim Wilson Mendes não desanima, apesar de não ter compensação financeira.

“Eu sei que no youtube, após se criar um canal, normalmente, depois de um tempo é que se começa a ter muitas visualizações, por vezes até anos. Porque ao criar um canal novo, se alguém for pesquisar uma aula de matemática, o meu vídeo aparece na vigésima ou trigésima página. Por ser um canal novo. É um processo que exige tempo, esse de ter muitas visualizações. Na Internet, é preciso ter criatividade de modo a ter mais visualizações”, refere.

Apesar de não ter benefícios financeiros, por causa dos vídeos, este professor diz ser contactado por muitos alunos para tirar as dúvidas. Alunos não só cabo-verdianos, mas também de Moçambique e Brasil.

Para este jovem, a maior vantagem do canal, para os alunos, centra-se no facto de ser de alguém que sabe como funciona o sistema de ensino cabo-verdiano, os tópicos leccionados e a abordagem de cada matéria.

“Além disso, ao entrar no curso busquei uma forma de ajudar os alunos com dificuldades na aprendizagem na matemática. Fui aceite como professor de apoio no liceu Cónego Jacinto para ajudar os alunos que têm dificuldades de aprendizagem e também trabalhei no ensino para adultos pós-laboral”, relata.

A melhor forma de ter paixão pela matemática, advoga, é tentar compreendê-la.

“Para compreendê-la os alunos não devem decorar. O que estou a ver é que os nossos alunos estão a decorar e não compreender a matemática, mas não os condeno, sendo que também o defeito está na forma como o professor está ensinar”, considera.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,20 mai 2020 15:16

Editado porSara Almeida  em  20 mai 2020 15:16

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.