Novo Fabia: Uma revolução suave

PorExpresso das Ilhas,9 out 2018 9:53

Não se pode dizer que a nova versão que a Skoda criou do Fabia seja uma revolução. No entanto, a marca garante que são muitas as novidades que marcam esta nova geração do mais pequeno modelo da marca checa, especialmente na berlina de cinco portas e na carrinha.

Ainda assim, há uma série de alterações relevantes introduzidas que exprimem a aposta da marca checa numa categoria em que as berlinas hatchback e as carrinhas - variantes que resumem a oferta de carroçarias da gama Fabia - estejam em declínio, com o mercado, também no segmento B, a desviar-se para um regime totalitário ditado pelos SUV/crossover.

Mas, para já, é a actualização do Fabia que interessa, quer pela revisão ao nível da imagem exterior (grelha, ópticas e pára-choques, entre outros elementos), quer pela adopção de outros materiais e revestimentos internos (nos bancos, tablier, consola e painéis das portas).

O habitáculo beneficia dessas melhorias, a que se acrescenta o novo desenho do painel de bordo (instrumentos) à frente do condutor e, pela primeira vez, um ecrã táctil de 6,5’’ no centro do tablier, a cores, no qual se operam os diversos sistemas de áudio, de infotainment e conectividade propostos (Swing Plus é novidade).

Na vertente tecnológica destaca-se ainda a inclusão de luzes diurnas LED (médios/máximos LED em opção, com função de curva) e o recurso a novas ajudas electrónicas à condução, a saber: ângulo morto, alerta de tráfego à retaguarda e luzes automáticas, além da câmara traseira, cruise control adaptativo e Front Assist com travagem automática. Nos motores, novidade é a inclusão de filtro de partículas nos blocos 1.0 TSI, a par da gestão electrónica revista.

A versão Monte Carlo do Fabia

A versão Monte Carlo do Fabia não é novidade e também beneficia do restyling a toda a gama. Disponível na carroçaria de 5 portas e na carrinha (Break), este nível de equipamento desportivo identifica-se desde logo pelo logótipo específico no pilar B, junto às portas da frente (montante a negro), pelo spoiler dianteiro inferior com outro desenho (também negro) e também pelo difusor traseiro especial. Mas não só. Acrescenta-se a possibilidade de adoptar jantes em liga leve de 17’’ (Torino) ou de 18’’ (opção e apenas no 5 portas).

As ópticas posteriores têm luzes LED com ligeira revisão gráfica e o impacto visual é ainda dado pelo contraste da cor da carroçaria em cinzento (Steel Grey) com o tejadilho a negro, embora haja outras cores, inclusive com a decoração a branco ou em prata do tejadilho, dos pilares A e das capas dos espelhos retrovisores (decoração que é transversal à gama).

No interior da versão Monte Carlo, destacam-se o formato mais desportivo dos bancos (apoios de cabeça integrados), com forro em pele sintética ( carbon leather) e apoios laterais noutra cor (entre várias à escolha), o volante desportivo em pele e os revestimentos diferentes no tablier (efeito carbono).

O motor eleito é o 1.0 TSI (injeção direta a gasolina) de 110 cv, com transmissão manual de 6 velocidades ou automática DSG de 7 relações. Mecânica com prestações a condizer com a filosofia da versão.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,9 out 2018 9:53

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  9 out 2018 12:01

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site