Quatro lugares, três motores, 1700cv de potência

PorExpresso das Ilhas,5 mar 2020 15:02

No final da década de 80 e início da década de 90 surgiu a designação de super-carro, onde cabiam modelos como o Ferrari F40, o Bugatti EB110, o Jaguar XJ220 ou o Porsche 959. Depois já nos anos 2000 começam a surgir os hipercarros - McLaren P1, Ferrari La Ferrari e outros. Agora a pequena e muito exclusiva Koenigsegg apresenta um novo conceito: o mega-GT.

O Gemera é um hibrído que vem equipado com um motor a gasolina de três cilindros biturbo com 2.0 litros de capacidade, capaz de debitar 600 cv de potência e 600 Nm de binário máximo. Esta é a primeira aplicação do sistema Freevalve, que abdica da tradicional árvore de cames. Mas além do impressionante rácio de 300 cv/litro, este motor a gasolina ainda se destaca pelo peso, uma vez que pesa apenas 70 quilos.

Quando aos propulsores eléctricos, os que surgem montados nas duas rodas do eixo traseiro produzem, cada um, 500 cv e 100 Nm, sendo que o que surge directamente associado à cambota debita 400 cv e 500 Nm.

Contas feitas, esta unidade motriz híbrida debita uma potência combinada de 1700 cv e 3500 Nm de binário, números impressionantes e que são colocados na estrada através de uma transmissão Koenigsegg Direct Drive (KDD) igual à que foi usada no Regera. Este sistema é muito semelhante ao de um automóvel eléctrico, uma vez que tem apenas uma relação.

O Gemera conta ainda com quatro rodas direccionais e um sistema de vectorização de binário, capaz de enviar a cada roda a potência mais indicada para cada ocasião.

Esta mecânica revolucionária faz do Koenigsegg Gemera um "monstro" capaz de acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 1,9 segundos, com a velocidade máxima a estar fixada nos 400 km/h. E uma vez que este modelo conta com uma bateria com 800 V, consegue percorrer 50 quilómetros em modo totalmente eléctrico, sendo que consegue mesmo chegar aos 300 km/h sem a ajuda do motor de combustão.

Quanto à imagem, o Gemera foi buscar inspiração ao Koenigsegg CC de 1996, o primeiro protótipo da marca sueca. Destaca-se pelas enormes entradas de ar laterais e pelos pilares A (dianteiros) quase inexistentes, disfarçados com uma superfície de vidro. Isto já para não falar das portas com abertura tipicamente "Koenigsegg".

Mas o maior destaque terá mesmo que ir para o habitáculo, até porque este é o primeiro Koenigsegg capaz de transportar quatro ocupantes e a sua respectiva bagagem, já que as duas bagageiras (uma na frente, debaixo do capot, e outra atrás) oferecem 200 litros de capacidade de carga.

Dois enormes ecrãs de infotainment dominam o habitáculo, que oferece quatro bancos desportivos (com carcaça em fibra de carbono) com apoio de cabeça integrado. Cada ocupante tem direito a um carregador wireless e a dois porta-copos (um refrigerado e outro aquecido). Quanto aos espelhos retrovisores laterais, foram substituídos por câmaras e por dois ecrãs montados nas extremidades do tablier.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,5 mar 2020 15:02

Editado porSara Almeida  em  5 mar 2020 15:02

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.