Nigéria faz regressar milhares dos seus cidadãos da Líbia

PorExpresso das Ilhas,8 jan 2018 12:52

Ministro dos Negócios Estrangeiros da Nigéria, Geoffrey Onyema, anunciou o regresso ao país de milhares de cidadãos nigerianos evacuados da Líbia. Os voos vão continuar nos próximos dias de modo a garantir o regresso de todos os que optarem por voltar ao país de origem.

Só no sábado, de acordo com o ministro, dois aviões estariam na Líbia para evacuar mais de 800 cidadãos nigerianos, sendo que o presidente, Muhammadu Buhari, teria garantido pessoalmente que todos os recursos seriam disponibilizados para garantir o repatriamento de todos os nigerianos retidos na Líbia pelas condições adversas.

“ O objectivo primeiro e no qual estamos focados é fazer chegar à casa estes cidadão nigerianos o mais rápido possível”, disse Onyema à Reuteurs, durante a sua visita a Tripoli.

Cidadãos nigerianos estão em maioria entre migrantes africanos que chegam à Líbia com o fim de atravessar o oceano para alcançar a Itália. Com a guarda-costeira da Líbia e os grupos armados daquele país a controlar os movimentos desses migrantes e a bloquear a sua saída, estes acabaram encurralados naquele país onde frequentemente passaram a enfrentar condições degradantes e abusos, incluindo trabalhos forçados.

A expectativa da Nigéria é fazer regressar ao país cerca de 5.500 migrantes, contudo o número exacto é difícil de precisar já que eles estão em diferentes áreas, desde campos geridos pelo governo central da Líbia a área menos acessíveis e fora do controlo do governo central. Por fim, criminosos envolvidos em tráfico humano podem também estar no controlo de parte destes migrantes, fazendo uso deles em campos de trabalho escravo e outras actividades com fins económicos.

Em Novembro passado, na sequência do chocante vídeo da CNN a mostrar migrantes africanos a serem leiloados para trabalho escravo, líderes da União Africana e da União Europeia reuniram-se na Costa do Marfim, encontro de onde saiu a decisão de promover a evacuação voluntária de migrantes africanos aos seus países de origem.

Desde o levantamento de 2011, a Líbia tem vivido uma crise com diferentes facções a disputarem o poder.

Segundo a IOM, organização internacional para as migrações, o número de migrantes que chegaram à Europa por via marítima diminuiu para cerca de metade comparativamente a 2016. A queda nas travessias a partir da Líbia estará na origem dessa diminuição global.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,8 jan 2018 12:52

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  23 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.