Temer dá posse a dez novos ministros

PorExpresso das Ilhas, Lusa,11 abr 2018 6:51

Michel Temer
Michel Temer

O Presidente do Brasil, Michel Temer, deu posse hoje a dez novos ministros que entram no Governo para substituir ex-ministros que renunciaram aos cargos para participar das próximas eleições do país que acontecem em Outubro.

O acto foi colectivo, tendo assumido funções os novos ministros das pastas da Integração, António de Pádua, do Turismo, Vinicius Lummertz, do Desporto, Leandro Cruz Fróes, do Planeamento, Esteves Colnago, das Minas e Energia, Wellington Moreira Franco, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Marcos Jorge de Lima, do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, do Trabalho, Helton Yomura, da Educação, Rossieli Soares, e da Fazenda [tutela das Finanças], Eduardo Guardia.

"Há dez mudanças importantes na equipa do Governo, mas são mudanças que alteram a composição e não a qualidade da equipa", disse Michel Temer na cerimónia.

"A equipa muda, mas a vontade de reformar o país é renovada", porque "o objectivo é construir um novo Brasil, sem interromper o que foi feito até agora", acrescentou o chefe de Estado brasileiro, que pediu aos seus novos ministros para "concluírem esse trabalho".

Os dez novos ministros brasileiros, que concluirão o seu mandato em 1 de Janeiro de 2019, têm um perfil mais técnico do que político e completam o gabinete de 29 membros para os nove meses que antecedem a posse de um novo Presidente no Brasil.

A mais importante dessas mudanças foi na sede do Tesouro, na qual Eduardo Guardia, até agora vice-ministro, tomou posse no lugar de Henrique Meirelles.

O chefe de Estado brasileiro valorizou de maneira especial o trabalho de Henrique Meirelles ao afirmar que ele era "um dos melhores ministros da Fazenda que o Brasil já teve" e assegurou que Eduardo Guardia "faz parte da mesma equipa com a qual o país foi colocado no caminho certo do crescimento, gerando empregos".

Henrique Meirelles renunciou na semana passada, quando também ingressou no partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB), liderado por Michel Temer, com a possível intenção de se apresentar como candidato a Presidente do Brasil.

O ex-ministro da Fazenda, hoje com 72 anos de idade, dedicou a maior parte de sua vida à banca privada nacional e internacional e tornou-se o presidente mundial do BankBoston.

Entre 2003 e 2010 foi presidente do Banco Central do Brasil, durante o Governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2016, após a destituição de Dilma Rousseff, foi nomeado ministro da Fazenda, posição que manteve até hoje.

O MDB também considera a possibilidade de que Michel Temer decida concorrer e neste caso Henrique Meirelles seria seu companheiro de candidatura, mas isso dependeria de negociações em curso. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,11 abr 2018 6:51

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  14 nov 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.