Maduro promete continuar a construir o socialismo

PorExpresso das Ilhas, Lusa,11 jan 2019 7:30

Nicolas Maduro
Nicolas Maduro

​O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi quinta-feira empossado para um novo mandato de seis anos e no juramento disse que vai continuar a construir o socialismo do século XXI.

A cerimónia de posse decorreu na Sala Plenária do Supremo Tribunal da Venezuela (STJ) e não na Assembleia Nacional (parlamento, onde a oposição detém a maioria), porque Maduro não reconhece legitimidade a este órgão, que acusa de afrontar as sentenças do tribunal. 

O Presidente da Venezuela chegou ao STJ acompanhado pela mulher, Cília Flores, onde foi recebido pelo presidente daquele órgão judicial e várias delegações internacionais. 

As televisões venezuelanas mostraram Nicolás Maduro a saudar alguns dos convidados internacionais, designadamente o Presidente de Cuba, Miguel Díaz Canel, da Bolívia, Evo Morales e da Nicarágua, Daniel Ortega. 

Nicolás Maduro, de 56 anos, e sucessor do falecido líder socialista Hugo Chávez (Presidente entre 1999 e 2013) recebeu a faixa presidencial das mãos do presidente do STJ, Maikel Moreno.

Na cerimónia, entre outros, estiveram também presentes delegações da Turquia, El Salvador, Ossétia do Sul, Suriname, Irão, São Vicente e Granadinas, Granada, Dominica, São Cristóvão e Neves, Antígua & Barbuda, Rússia, Belize, África do Sul, Argélia, Bielorrússia, China, República do Congo, Moçambique, Irlanda, Líbano, Liga Árabe e da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

No exterior do edifício, milhares de simpatizantes da revolução bolivariana concentraram-se para apoiar o Presidente Nicolás Maduro.

“Estamos presente com o Presidente”, “Somos Venezuela, Somos Maduro”, eram algumas das mensagens nos cartazes exibidos pelos simpatizantes que vestidos maioritariamente com camisolas vermelhas tingiam daquela cor o centro da cidade de Caracas.

Alguns postes eléctricos foram decorados e neles estavam pendurados cartazes com a frase “Sou Presidente”.
Segundo o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, Nicolás Maduro foi reeleito para um novo mandato presidencial nas eleições antecipadas de 20 de Maio de 2018, com 6.248.864 votos (67,84%).

Um dia depois das eleições, a oposição venezuelana questionou os resultados, alegando irregularidades e o desrespeito pelos tratados de direitos humanos e a Constituição da Venezuela.

A crise político-económica e social levou, segundo dados das Nações Unidas, a que cerca de 3 milhões de venezuelanos tenham abandonado o país, desde 2015, para vários continentes, mas principalmente para países vizinhos.

Prevê-se que Nicolás Maduro anuncie novas medidas económicas para o país.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,11 jan 2019 7:30

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 jun 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.