Presidente angolano não quis receber Víktor Orban

PorExpresso das Ilhas,29 mar 2019 11:01

Viktor Órban
Viktor Órban

O Presidente João Lourenço cancelou a visita do primeiro-ministro húngaro, Víktor Orban, a Angola. Fontes da diplomacia angolana avançam que o Chefe de Estado não queria receber “um dos líderes europeus mais xenófobos e de extrema-direita”, dá conta a imprensa portuguesa.

De acordo com o jornal Expresso, apesar de oficialmente terem sido apontados motivos de agenda, nos bastidores sabe-se que o verdadeiro motivo é outro, relacionado com as posições polémicas, assumidas por Orban, em áreas como imigração. 

Orban esteve até quinta-feira numa visita de dois dias Cabo Verde entre 27 e 28 deste mês.

“Oportuno e apropriada". Foi nestes termos que, sob anonimato, um destacado responsável do Ministério das Relações Exteriores qualificou ao jornal português a decisão do Presidente João Lourenço de se recusar a receber em Angola o primeiro-ministro húngaro.

O polémico político, um dos líderes europeus mais conotados com a extrema-direita, manifestara interesse em aproximar-se de Luanda e deveria realizar esta semana uma visita oficial ao país.

O semanário recorda que no início do mês de Março o ministro nos Negócios estrangeiros e do Comércio da Hungria, Péter Szinjjártó, visitou Angola e manteve um encontro privado com o seu homólogo angolano, Manuel Augusto. O governante húngaro visitou também a Televisão Pública de Angola (TPA), tendo manifestado interesse em cooperar com Angola na formação de quadros e partilha de conteúdos televisivos.

As relações de cooperação entre a República de Angola e a República da Hungria foram estabelecidas em 1977 por via da assinatura do Acordo de Cooperação Económica e Técnico-Científica e têm-se mantido, desde então. 

Cabo Verde e Hungria intercedem mutuamente nas relações com a CPLP e União Europeia

O Governo de Cabo Verde assinou hoje com a Hungria uma série de documentos jurídicos integrados no Acordo Geral de Cooperação Económico e Técnico. Ulisses Correia e Silva caracterizou o acto como reforço do diálogo politico e diplomático entre os dois países e ressaltou a expectativa de que a Hungria seja uma parceira na aspiração à mobilidade no espaço europeu.

Em Cabo Verde

Durante a estadia do chefe de governo húngaro em Cabo Verde, foram assinados vários acordos de cooperação. 

Viktor Orbán manifestou a sua abertura à isenção de vistos para entrada de cabo-verdianos no país, tal como acontece com os europeus que visitam Cabo Verde.

Por seu lado, o Primeiro-Ministro, Ulisses Correia e Silva, sublinhou que se tratou da primeira visita de um chefe do executivo da Hungria ao arquipélago.

"É sinal de confiança mútua e amizade e de uma forte aposta nas relações que vamos desenvolver fortemente em áreas que identificamos", disse.

O líder do arame farpado

Na última semana, o Partido Popular Europeu, união de partidos de centro-direita no Parlamento Europeu, suspendeu temporariamente o Fidesz, partido do primeiro-ministro húngaro, depois de várias acusações sobre violação dos princípios europeus do estado de direito. Antes da decisão, Orbán tinha anunciado que se auto-suspendia. 

Para o líder húngaro, a “liberdade” da União Europeia é a cultura cristã que “é preciso defender”.

“Queremos ver novos líderes fortes a dirigir a Europa”, disse recentemente, a propósito das eleições para o Parlamento europeu, em Maio.

As reformas políticas de Orban, desde que assumiu o poder, em 2010, incluem um reforço constitucional dos valores do cristianismo e da "família tradicional". Igualmente, aumentou o controlo do governo sobre a justiça e comunicação social. 

Abertamente hostil à recepção de migrantes que diz poderem "dissolver" a identidade da Hungria e de toda a Europa, Orban ergueu em 2015 uma cerca de arame farpado de várias centenas de quilómetros nas fronteiras sérvia e croata.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,29 mar 2019 11:01

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  29 mar 2019 19:15

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.