Abuso sexual de crianças na UE aumentou no confinamento

PorLusa, Expresso das Ilhas,24 jul 2020 10:20

O isolamento devido à pandemia de COVID-19 aumentou o número de casos de abuso sexual de crianças na União Europeia (UE), nomeadamente na internet, informou hoje a Comissão Europeia, apresentando medidas para o combater.

"Esta é uma questão muito importante, que tem vindo a aumentar durante a pandemia, [além de que], nos últimos anos, o abuso sexual de crianças tem vindo a crescer exponencialmente", disse à agência Lusa, em Bruxelas, a comissária europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson, numa entrevista que será publicada na íntegra no sábado.

Observando que, "durante a pandemia, os pedófilos passavam mais tempo na internet", a comissária notou que, segundo investigações das autoridades europeias, estes criminosos também "produziram novos vídeos" que iam publicando em redes de pedofilia 'online'.

Situação que, de acordo com Ylva Johansson, aconteceu um pouco por toda a UE.

"No ano passado, na Europa, tivemos 100 mil novos filmes [de abuso sexual] que foram detectados e é por isso que é tão importante que detemos e denunciemos para que os países, em conjunto com as forças policias, consigam identificar as crianças e salvá-las", vincou a comissária europeia.

E foi por isso que o colégio de comissários europeus adoptou hoje um plano de acção para combate ao abuso sexual de crianças, no âmbito da Estratégia Europeia em matéria de Segurança, com medidas para adoptar entre 2020 e 2025.

Ylva Johansson afirmou à Lusa que uma das medidas previstas se centra no que "as empresas de telecomunicações devem fazer para detectar, denunciar e apagar este material", que é disseminado na internet, visando assim "ajudar as forças policiais" no seu trabalho, com um reforço da legislação neste âmbito.

Outra das ideias é a criação de um centro europeu para receber estas informações disponibilizadas pelas operadoras de internet para, dessa forma, conseguir "descobrir a que Estado-membro [o caso] diz respeito, trabalhar com a aplicação da lei para encontrar a criança e para levar o culpado à justiça".

Além disso, está prevista a criação de "uma rede para prevenção destes abusos, com especialistas a trabalhar com potenciais pedófilos", bem como a criação de campanhas de sensibilização e de material mediático, adiantou a comissária europeia.

Acresce, ainda, a revisão do quadro jurídico existente para identificação de eventuais lacunas, o reforço da resposta policial a nível europeu (nomeadamente através da Europol) e ainda o investimento em melhorias das capacidades digitais das autoridades nacionais dos Estados-membros para lidarem como este tipo de crimes.

O total de casos de abuso sexual de crianças reportados às autoridades na Europa passou de 23 mil em 2010 para 725 mil no ano passado.

Estima-se que uma em cada cinco crianças europeias seja vítima de alguma forma de violência sexual.

Hoje, o executivo comunitário apresentou, ainda, outros dois planos de acção no âmbito da Estratégia Europeia em matéria de Segurança: um de combate à droga e outro contra o tráfico de armas de fogo.

Relativamente ao mercado das drogas ilícitas, que gera anualmente na Europa perto de 30 mil milhões de euros, o plano estabelece medidas como o reforço da segurança contra grupos de crime organizado, o aumento da prevenção e a melhoria do acesso ao tratamento.

Por seu lado, o plano contra o tráfico de armas de fogo visa reforçar as leis existentes para detectar os traficantes e reforçar a cooperação internacional.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lusa, Expresso das Ilhas,24 jul 2020 10:20

Editado porAndre Amaral  em  27 nov 2020 23:21

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.