COVID-19: Número de mortos em África sobe para 18.884 em mais de 891 mil casos

PorExpresso das Ilhas, Lusa,30 jul 2020 11:30

O número de mortos em África devido à COVID-19 subiu hoje para 18.884, mais 409 nas últimas 24 horas, e há cerca de 891 mil infetados, segundo os dados mais recentes da pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (ÁfricaCDC), o número actual de infectados é de 891.199, mais 19.229 nas últimas 24 horas, havendo agora 540.872 recuperados, mais 17.188.

O maior número de casos e de mortos de COVID-19 continua a registar-se na África Austral, com 491.852 infectados e 7.914 óbitos.

Nesta região, só a África do Sul contabiliza 471.123 infetados e 7.497 mortos, o país mais afectado no continente.

A África do Norte tem agora 155.366 infetados, com 6.519 mortos, e na África Ocidental os casos subiram para 125.350, com 1.888 vítimas mortais.

Na África Oriental registam-se 72.036 casos e 1.625 mortos e na África Central os infectados atingiram os 46.595, com 938 óbitos.

O Egipto é o segundo país com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, contabilizando 93.356 casos e 4.728 mortos, seguindo-se a Argélia, com 29.229 infectados e 1.186 vítimas mortais.

Entre os cinco países mais afetados, está também a Nigéria, que regista 42.208 infectados e 873 mortos, e o Sudão, com 11.496 casos e 720 vítimas mortais.

Em relação aos países africanos lusófonos e segundo dados das autoridades locais, Cabo Verde é o que tem mais infecções, com 2.354 infectados e 22 mortos, enquanto Angola lidera em termos de vítimas mortais, com 48 mortos e 1.078 casos.

A Guiné-Bissau regista 1.981 casos positivos, que resultaram em 26 mortes, enquanto Moçambique contabiliza 1.748 infectados e 11 mortes.

São Tomé e Príncipe tem 868 casos de infecção pelo novo coronavírus, que causou 15 mortos.

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mantém há várias semanas 3.071 casos e 51 mortos, segundo o África CDC, embora as autoridades equato-guineenses relatem menos casos positivos (2.350) e o mesmo número de falecimentos.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 666 mil mortos e infectou mais de 17 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,30 jul 2020 11:30

Editado porSara Almeida  em  1 dez 2020 23:20

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.