Palestinianos têm direito a viver numa "entidade independente", diz Gantz

PorExpresso das Ilhas, Lusa,17 dez 2020 15:42

Os palestinianos têm direito a "uma entidade independente" e "há espaço" em Jerusalém para uma capital palestiniana, considera numa entrevista divulgada hoje o ministro da Defesa de Israel e principal parceiro do governo de Benjamin Netanyahu.

Benny Gantz fez as declarações numa rara entrevista a um diário saudita, o Asharq al Aswat, com sede em Londres.

"Os palestinianos merecem uma entidade onde possam viver de forma independente" e "com contiguidade territorial" a que possam chamar "um Estado ou um reino, como quiserem", disse Gantz, adiantando que Israel insiste é "na segurança".

O líder da coligação centrista Azul e Branco considerou ainda que os palestinianos "têm direito" a "uma capital" e que Jerusalém tem espaço para tal.

Mas afirmou que a cidade deve continuar unida sob a jurisdição israelita e reiterou que "não voltará às fronteiras de 1967", quando Israel ocupou Jerusalém Oriental e a Cisjordânia na designada Guerra dos Seis Dias.

A liderança palestiniana reivindica há muito um Estado independente na Cisjordânia e Faixa de Gaza, com a capital em Jerusalém Oriental, a solução de dois Estados para resolver o conflito israelo-palestiniano que conta com o apoio da comunidade internacional.

Netanyahu quis anexar este ano com a aprovação de Washington uma parte da Cisjordânia ocupada, como fez com Jerusalém.

A medida fazia parte de um polémico plano da administração de Donald Trump, apresentado em Janeiro, e ficou suspensa após o acordo de normalização de relações entre Israel e os Emirados Árabes Unidos.

Embora apoiasse o plano de Trump, Gantz defende, em alternativa à anexação de uma vasta zona da Cisjordânia, que Israel mantenha o controlo de parte do vale do Jordão "para as suas necessidades de defesa".

O antigo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de Israel apelou aos palestinianos para voltarem à mesa das negociações, assegurando que quando "forem resolvidos os acordos de segurança, a solução política" para o conflito "será mais fácil".

A entrevista a Gantz ocorre numa altura de confronto entre o ministro da Defesa israelita e o primeiro-ministro a propósito do Orçamento de Estado.

Se a situação não for ultrapassada até quarta-feira, o parlamento será dissolvido e serão marcadas novas eleições legislativas, as quartas em dois anos, provavelmente para Março.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,17 dez 2020 15:42

Editado porAndre Amaral  em  14 mai 2021 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.