ONU já ajudou 3,6 milhões de pessoas no Sudão

PorExpresso das Ilhas, Lusa,30 out 2023 14:23

O subsecretário-geral para os Assuntos Humanitários e coordenador da Ajuda de Emergência disse hoje que a ONU já ajudou 3,6 milhões de pessoas no Sudão, mas este número representa apenas 20% das pessoas que precisam de ajuda.

"A comunidade humanitária tem feito o seu melhor para atender às necessidades cada vez maiores; desde meados de Abril, chegámos a 3,6 milhões de pessoas com alguma forma de ajuda, mas isto é apenas 20% do número de pessoas que esperamos conseguir ajudar", disse Martin Griffiths num comunicado divulgado na abertura das negociações de paz para o Sudão, que decorrem em Jeddah, na Arábia Saudita.

"Milhares de pessoas foram mortas ou feridas; uma em cada nove pessoas teve de fugir da sua casa; quase um terço da população pode cair em situação de insegurança alimentar; o sistema de saúde está em cacos, pairando um espetro de surtos de doenças, incluindo cólera, uma geração inteira de crianças arriscam-se a não ter uma educação completa, e faltam-nos milhares de milhões de dólares em financiamento", resumiu o responsável do gabinete de ajuda humanitária das Nações Unidas.

As conversações de paz em Jeddah, salientou o responsável, "são críticas", porque é preciso que o exército do Sudão e as Forças de Resposta Rápida (RSF, na sigla em inglês) "ultrapassam o bloqueio burocrático, e que adiram completamente à lei internacional humanitária, garantindo acesso seguro, sustentado e sem entraves às pessoas que precisa, seja em Darfur, em Cartum ou em Kordofans".

Numa mensagem em que se congratula com o reinício das conversações de paz, Martin Griffiths agradece à Arábia Saudita e aos Estados Unidos por albergarem e organizarem as reuniões e considera que estes encontros "são uma oportunidade decisiva para deixar o povo do Sudão saber que não estão esquecidos e que levamos as nossas responsabilidades internacionais a sério".

Desde abril, a guerra entre as forças do chefe do exército, Abdel Fattah al-Burhane, e o seu antigo vice, Mohamed Hamdane Daglo, à frente das forças paramilitares RSF, já causou a morte de mais de 9.000 pessoas, de acordo com números da ONU que admite serem dados muito subestimados, e mais de 5,6 milhões de deslocados e refugiados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Tópicos

Sudão ONU

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,30 out 2023 14:23

Editado porAndre Amaral  em  24 mai 2024 23:28

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.