​FAO disponibiliza 23 mil contos para combater lagarta-do-cartucho do milho em Cabo Verde

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,31 jan 2018 9:39

Gilberto Silva e Rémi Nono Womdim
Gilberto Silva e Rémi Nono Womdim

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação disponibilizou ontem 23 mil contos a Cabo Verde para a implementação do projecto de apoio à luta integrada contra a praga da lagarta-do-cartucho do milho no arquipélago.

A assinatura do acordo aconteceu na Cidade da Praia. Para além do apoio financeiro, o projecto prevê assistência técnica.

O objectivo principal é controlar e lutar de forma eficaz contra a invasão da lagarto-do-cartucho do milho, especialmente na cultura do milho irrigado e sequeiro.

Segundo o representante da FAO, Rémi Nono Womdim, trata-se de um projecto importante que irá também ajudar várias famílias a relançarem as suas actividades agrícolas, na sequência dos danos causados pela seca.

A lagarta-do-cartucho do milho foi identificada em Cabo Verde em Junho de 2017 e o país deve preparar-se para conviver com a sua presença.

“O objectivo principal é de tornar a agricultura cabo-verdiana mais resiliente e preparada para lidar com um agressor que já tomou conta das Américas, da África e que poderá pôr em causa a agricultura em Cabo Verde”, salienta Rémi Nono Womdim.

Segundo o responsável, é possível controlar e atenuar os efeitos de praga, sendo certo que para o sucesso dessa luta é necessário o envolvimento dos agricultores.

Para o ministro da Agricultura e do Ambiente, Gilberto Silva, o projecto, cuja duração é de aproximadamente 16 meses, é de “grande importância” para Cabo Verde, não apenas pela sua dimensão financeira, mas, sobretudo, pela assistência técnica.

“Estamos a falar de uma praga que traz muitos prejuízos à agricultura num país que está a viver uma seca severa e que põe em causa também a produção e o rendimento das famílias”, enfatiza.

Gilberto Silva adianta que o projecto vai trazer resultados “concretos” a favor da agricultura cabo-verdiana e dos agricultores.

O mesmo prevê a instalação de um dispositivo de vigilância da praga, que, segundo diz, vai permitir às estruturas do Ministério da Agricultura um domínio do conhecimento e práticas para levar a cabo a luta integrada pela via da capacitação e da utilização de tecnologias disponíveis.

O projecto prevê, também, a sensibilização e capacitação dos agricultores, a produção de inimigos naturais, a melhoria as técnicas de utilização das biopesticidas e a criação de unidades de produção de biopesticidade à base de espécies arbóreas como a tendente.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,31 jan 2018 9:39

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  22 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.