Cabo Verde registou mais de 22 mil casos de gripe este ano

PorExpresso das Ilhas, Lusa,13 mar 2018 17:36

Cabo Verde registou mais de 22 mil casos de gripe este ano, sobretudo devido ao frio que se fez sentir em Fevereiro, informou hoje o ministro da Saúde, garantindo que não há registo de mortes.

"Até à semana passada tínhamos registado mais de 22 mil casos [de gripe], maior do que no ano passado", informou Arlindo do Rosário, sem precisar os dados registados no ano passado, mas garantindo que houve mais casos de pneumonia.

O ministro falava aos jornalistas, na cidade da Praia, à margem da apresentação do Observatório Nacional de Saúde (ONS) e tomada de posse dos membros do Conselho Consultivo do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP).

Segundo o ministro, o país solicitou análises ao Instituto Pasteur, em Dacar, Senegal, que identificou o vírus Influenza do tipo B, considerado o mais comum da gripe, e que pode evoluir para pneumonia, dependendo do estado imunológico e da situação clínica de cada paciente.

Indicando que os casos já estão numa fase decrescente, Arlindo do Rosário sublinhou ainda a "resposta rápida" dos serviços de saúde, apesar da pressão maior nesta altura, com mais doentes a dirigirem-se aos hospitais e centros de saúde.

Arlindo do Rosário disse também que todos os resultados das análises ainda não foram divulgados porque o país ainda está a enviar mais amostras para a investigação.

Questionado sobre se os casos de gripe podem levar o Ministério a pensar na vacinação, nomeadamente para pessoas de riscos, Arlindo do Rosário disse que qualquer investimento na vacina terá que ser feito tendo em conta as possibilidades financeiras do país e para criar capacidade de resposta.

"Em situações, eventualmente bem identificadas de diminuição clara de imunidade, pode-se pensar nisso [vacina], mas tendo em conta que temos outros setores e outras prioridades fundamentais", mostrou o ministro.

O governante salientou que foi um "ano atípico" com uma "vaga de frio invulgar" no mês de fevereiro e que o vírus da gripe sofre mutações todos os anos.

Arlindo do Rosário notou que os cabo-verdianos não estão muito habituados a vagas de frio, exceptuando as localidades mais altas do país, pelo que ficam "despreparadas", mas avisou que é preciso proteger e agasalhar.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,13 mar 2018 17:36

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.