PAICV apresenta Projecto de lei sobre os imigrantes da CEDEAO

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,8 mai 2018 15:16

Comissão Política Nacional do PAICV Walter Évora
Comissão Política Nacional do PAICV Walter Évora(Rádio Morabeza)

A Comissão Política Nacional do PAICV quer Cabo Verde empenhado na plena integração dos cidadãos oriundos da Comunidade dos Estados da África Ocidental. Neste sentido, decidiu propor, já em Maio, a elaboração de um projecto de lei que permita a abertura de um processo especial de legalização dos mesmos.

A questão foi tratada, esta segunda-feira, em reunião da Comissão Política Nacional do maior partido da oposição e anunciada hoje pelo porta-voz do PAICV, Walter Évora.

“Cabo Verde deve dar um sinal forte aos países membros da CEDEAO, de como estamos realmente empenhados em que os seus cidadãos estejam bem integrados em Cabo Verde. Assim sendo, decidimos propor ao grupo parlamentar do PAICV a elaboração de um projecto de lei que permita, a título excepcional, a abertura de um processo de legalização especial, a favor dos cidadãos oriundos da CEDEAO que vivem neste momento em Cabo Verde”, explica.

Os dados do recente Estudo do Afrobarómetro sobre a qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde foi outro ponto analisado durante a reunião da Comissão Política do PAICV.

Walter Évora considera que os dados do estudo mostram que a situação económica do país não é boa e que o actual Governo tem falhado nesta matéria.

“No que diz respeito a situação económica de Cabo Verde, esses dados vêm confirmar aquilo que o PAICV, vem defendo e denunciando nos últimos meses, mostrando que a situação económica do País não é boa e que o actual Governo tem falhado em matéria de política económica. Aliás, de acordo com o referido estudo, 58% dos Cabo-verdianos considera que Cabo Verde está a ser dirigido na direcção errada. Esse estudo mostra que a maioria dos Cabo-verdianos não está de acordo com as medidas de política deste Governo, como por exemplo, a decisão de isentar de visto os cidadãos da União Europeia, medida essa que até mesmo o seu promotor (Governo), não está convicto da sua eficácia, uma vez que continua a adiar a sua implementação” avança.

A Comissão Política do PAICV também “repudia e, condena a forma humilhante e desrespeitosa em que os jornalistas Cabo-verdianos foram publicamente insultados, por altos dirigentes políticos do MpD e pelo Governo, considerando que estes ataques aos profissionais da comunicação social, é também, um ataque à própria Democracia Cabo-verdiana”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,8 mai 2018 15:16

Editado porAndre Amaral  em  9 mai 2018 10:53

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.