Plásticos representam 30% de resíduos nas lixeiras nacionais

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,5 jun 2018 7:38

2

​Trinta por cento dos resíduos que entram nas lixeiras são plásticos, revela o director nacional do Ambiente, lembrando que o tema escolhido este ano para assinalar o Dia Mundial do Ambiente desperta a atenção exactamente para a redução do uso de plástico.

Em declarações à Inforpress, a propósito da efeméride, que este ano é assinalada sob o lema “acabe com a poluição plástica”, Alexandre Nevsky Rodrigues diz que Cabo Verde tem uma lei que entrou em vigor em Janeiro de 2017 e que proíbe o uso de sacos de plásticos convencionais, como forma de incentivar o uso de embalagens biodegradáveis e proteger o ambiente.

“O plástico representa nas nossas lixeiras quase 30% do volume dos resíduos (…) e a legislação não cobre todos os plásticos, mas foca principalmente na questão das bolsas de plásticos para transporte das compras”, diz, esclarecendo que a fiscalização tem sido feita através de visitas aos estabelecimentos comerciais, incidindo também no controlo à importação.

Segundo o responsável, a Direcção Nacional do Ambiente tem encontrado algumas dificuldades nas fiscalizações, mas admite que ainda se está na fase da pedagogia.

Garante, no entanto, que a “grande maioria dos serviços comerciais está a cumprir a legislação”, assim como a população tem estado a agir de forma diferente.

Além da questão dos sacos de plástico, Alexandre Nevsky Rodrigues realça que o país tem problemas também com as garrafas de plástico (pet) que, todavia, já começam a ter alternativas, já que em Cabo Verde já existe uma empresa que faz a recolha das mesmas para enviar para reciclagem, sendo que o próximo passo poderá resultar na realização dessa reciclagem mesmo no arquipélago.

Alexandre Nevsky Rodrigues observa que “o país tem seis grandes temas que ainda considera serem desafiadores”. Exploração excessiva dos recursos naturais, a destruição de habitats terrestres e marinhos, a introdução de espécies exóticas, a deficiência na gestão organizacional e aplicabilidade da legislação, a deficiência na gestão da água e a deficiência na gestão dos resíduos sólidos.

“Todas as legislações ambientais incluem a fiscalização que está relacionada com a própria estrutura organizacional, por isso, um dos desafios é combater deficiência na gestão organizacional e a aplicabilidade da legislação”, sustenta.

O tema apresentado este ano pelas Nações Unidas, “Acabe com a poluição plástica”, para o Dia Mundial do Ambiente pretende chamar a atenção dos governos, do sector privado, das comunidades e dos indivíduos a reduzir a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis, que contaminam os oceanos, prejudicam a vida marinha e afectam a saúde humana.

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas através da resolução (XXVII) de 15 de Dezembro de 1972 com a qual foi aberta a Conferência de Estocolmo, na Suécia, cujo tema central foi o Ambiente Humano.

O objectivo da efeméride é assinalar acções positivas de protecção e preservação do ambiente e alertar as populações e os governos para a necessidade de se salvar o ambiente.

Foi na década de 1970 que começou a crescer o interesse pelas questões ambientais, surgindo então o conceito de desenvolvimento sustentável.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,5 jun 2018 7:38

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 nov 2018 3:23

2

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.