Binter suspende vendas a partir de 28 de Outubro

Terminal de Sucupira: Maior segurança rodoviária e organização no trânsito

PorAndre Amaral,10 jun 2018 9:32

Organizar, disciplinar o trânsito, promover a segurança dos transeuntes e diminuir a sinistralidade rodoviária são os principais objectivos por trás da implementação do terminal de hiaces do Sucupira, na cidade da Praia. O projecto é provisório, em funcionamento há duas semanas, mas os resultados já satisfazem a autarquia praiense.

A demanda diária por estas áreas da cidade, bairro da Fazenda, Avenida Cidade Lisboa, Avenida Marginal, quer de veículos quer de peões, é muito grande. “Nós criámos este terminal com vista a organizar o tráfego”, ressalta Manuel Vasconcelos Fernandes, vereador de Infraestrutura e Transportes da CMP.

“Um dos objectivos da efectivação do terminal de hiaces é reduzir o número de sinistralidade rodoviária, poluição, de uma certa forma acabar com a poluição sonora e ao mesmo tempo ter maior mobilidade, organização, e conceder maior espaço aos peões”, diz Manuel Correia, Guarda Municipal. Futuramente, esta medida visa conceder aos citadinos a sensação de tranquilidade no sector rodoviário.

Para melhor organizar o transporte público, a CMP implementou este terminal. A sua implementação está a contar com a colaboração da Polícia Nacional. “Temos uma equipa da Guarda Municipal e da Polícia Nacional, secção do trânsito, a colaborar muito bem connosco”, diz o vereador Fernandes.

Em funcionamento há praticamente duas semanas, a medida já está a ter efeitos positivos. “Agora a cidade está mais organizada em termos de tráfego. Os peões podem atravessar as passadeiras com segurança. É uma medida boa que a gente está a implementar”, sublinha Manuel Fernandes.

No entanto, a autarquia, uma vez que o projecto ainda está na sua fase inicial quer recolher colaborações dos munícipes e de toda sociedade civil para o melhorar.

A implementação deste projecto foi fruto de um consenso entre a autarquia praiense e os condutores, inclusive a questão dos preços das senhas, pelo que, como deixou saber o vereador Fernandes, não tem havido problemas de maior com os hiacistas.

“Nós conseguimos arranjar emprego para os ajudantes que colaboravam com os condutores na organização da entrada dos passageiros”, diz Manuel Fernandes. Ao todo são oito ex-ajudantes dos condutores de hiace que neste momento trabalham no terminal de hiaces, prestando apoio operacional, sob a orientação da Guarda Municipal e da PN, com um vencimento de 15.300$00.

Funcionamento do terminal

O terminal de hiaces do Sucupira comporta neste momento 335 hiaces e o número cresce diariamente. “É um número bastante elevado para a procura que temos nesta zona”, avança Manuel Fernandes, admitindo a possibilidade de solicitar a suspensão de licenças pela DGTR, pelo menos por um tempo.

Por ser uma realidade nova, a primeira semana de funcionamento do terminal foi marcada por alguns constrangimentos. “Já estamos na segunda semana da efectivação do terminal de hiaces e nós cremos que tudo vai correr bem e os condutores estão cada vez mais incentivados a cumprir as regras estipuladas”, salienta Manuel Correia.

O terminal de hiaces funciona com a atribuição de dísticos aos condutores. “O dístico prioritário é atribuído aos condutores que querem apanhar passageiros fora do terminal”, adianta Manuel Correia, o que constitui uma excepção à regra. “Podem apanhar grupos organizados de pessoas mediante um pedido de autorização prévia, a Câmara Municipal autoriza a apanhar a largar passageiros fora do terminal desde que não seja no troço da Avenida Cidade Lisboa, Avenida Marginal até semáforo de Terra Branca”, explica Manuel Correia.

“Este terminal é provisório e pedimos aos condutores que colaborem connosco, que respeitem as regras estabelecidas, que não deixem e nem peguem os passageiros na avenida Cidade Lisboa”, apela Manuel Fernandes, que quer ver disciplina e maior segurança rodoviária nesta avenida.

Em relação ao novo terminal de transporte rodoviário, os estudos apontam a sua localização em Achada São Filipe, mas trata-se de uma questão da competência do Governo. “Temos o estudo e estamos em concertação para lançar este projecto que é muito importante para a cidade da Praia”, afirma Manuel Fernandes. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,10 jun 2018 9:32

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  11 jun 2018 8:04

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.